Depois de ficar com o vice da Libertadores, o Athletico-PR começou a juntar os cacos e ‘esqueceu’ a perda de título com uma vitória suada. Na tarde desta quarta-feira, o time paranaense superou o Goiás, por 3 a 2, na Arena da Baixada, pela 35ª rodada do Brasileirão. Após abrir 3 a 0, os mandantes viram o rival reagir e marcar duas vezes, em um jogo movimentado e de emoção na reta final.

Com a vitória, o Athletico-PR permanece na sexta colocação, com 54 pontos, neste momento indo de forma direta para a fase de Grupos da Libertadores do ano que vem. Enquanto o Goiás aparece no 13º lugar, com 43, longe da zona de rebaixamento e dentro da zona de classificação para a Sul-Americana.

Voltando a campo após o vice da Libertadores, o Athletico-PR não quis saber de lamentações e partiu para cima do Goiás. Logo no começo da partida, Vitor Roque foi derrubado por Yan Souto, dentro da área. Após rever o lance no VAR, o árbitro marcou pênalti para o time da casa. Terans chamou a responsabilidade e deslocou o goleiro Tadeu, abrindo o placar aos seis minutos.

Com um futebol imponente, o Athletico não deixava o Goiás respirar na partida. Ocupando o campo de ataque e com transições rápidas, Alex Santana, aos 12, ampliou o marcador. Vitinho recebeu na área, se atrapalhou todo e rolou para o volante bater colocado no canto direito. O técnico Jair Ventura optou por entrar em campo com três zagueiros, a estratégia não surtiu efeito e Terans marcou o terceiro dos athleticanos aos 29 minutos. Fernandinho fez o cruzamento na medida para o meia, que livre de marcação, apenas cabeceou no contrapé de Tadeu. Uma demonstração a Felipão que não poderia ser reserva na final da Libertadores.

Vendo a estratégia desmoronar em 30 minutos, Jair Ventura tirou o zagueiro Caetano e promoveu a entrada do lateral Hugo. Após a mudança tática, o Goiás começou a ter volume de jogo no ataque e após três escanteios, Yan Souto diminuiu o marcador, aos 39 minutos. Dadá Belmonte ergueu a bola na área e o zagueiro desviou de cabeça na primeira trave.

Na segunda etapa, Jair Ventura fez mais ajustes para corrigir a estrutura tática da equipe. Marquinhos Gabriel entrou no lugar de Apodi e contou com a falha de Bento para servir Pedro Raul, que descontou para o Goiás, aos cinco minutos. O goleiro paranaense saiu errado, a bola caiu nos pés do meia que avançou e rolou para o artilheiro do Brasileiro estufar as redes.

As alterações fizeram efeito e o time goiano melhorou sensivelmente na segunda etapa. Vinicius quase deixou tudo igual, após Pedro Henrique errar o corte. Após o susto, o Athletico acordou na partida e a entrada de Canobbio fez o time ter mais presença ofensiva. Primeiro o atacante acertou a trave do Goiás. Depois foi a vez de Vitor Roque carimbar o travessão. No rebote, o atacante mandou para o gol e Tadeu fez uma linda defesa.

Na reta final, a partida ficou lá e cá e cheia de emoção. Em contra-ataque, Marquinho Gabriel finalizou colocado, assustando a torcida na Arena da Baixada. A resposta veio com Khellven, que novamente exigiu trabalho de Tadeu, que passou a ser o nome da partida. Nos acréscimos, o Goiás esboçou uma blitz final, mas sem sucesso. O Athletico-PR soube sofrer e segurou a bola no ataque, gastando o tempo até o apito final.

Na próxima rodada, o Athletico-PR visita o Internacional, no sábado, às 21h, no Beira-Rio, em Porto Alegre. Também no sábado, porém às 19h, o Goiás recebe o já rebaixado Juventude, no estádio da Serrinha, em Goiânia.