Esportes

Saiba quem são os atletas sul-mato-grossenses nas Paralimpíadas de Tóquio

Ao todo, seis atletas e um guia vão representar MS no Japão. Eles se dividem em duas modalidades: atletismo e canoagem.

Lucas Mamédio Publicado em 24/08/2021, às 07h41 - Atualizado às 07h42

Fernando Rufino vai representar a canoagem
Fernando Rufino vai representar a canoagem - (Foto: Divulgação)

As Paralimpíadas de Tóquio 2020 começam nesta terça-feira (24) de manhã. Ao todo, a delegação brasileira conta com 260 atletas, sendo estes 164 homens e 96 mulheres, dos quais seis são de Mato Grosso do Sul, além de um guia.

Em 2016, o Brasil conquistou a maior marca no quadro de medalhas nas Paralimpíadas, conquistando 72 medalhas em 22 modalidades. Dessa vez o desafio é bater essa marca e com a ajuda dos sul-mato-grossenses.

Confira a seguir o perfil completo dos atletas de MS que vão participar do Jogos Paralímpicos de Tóquio:

Débora Raiza Ribeiro Benevides (canoagem)

Nascimento: 16/09/1995, Campo Grande (MS)

História: A atleta tem má-formação nos membros inferiores, que causa atrofia nas pernas. Iniciou no atletismo aos 15 anos, porém, alguns anos depois, viu que seu futuro era na água, com a canoagem.

Principais conquistas: Ouro no caiaque e na canoa no Campeonato Pan-Americano 2018 em Dartmonth (Canadá); prata na canoa no Mundial de Racice (República Tcheca) 2017; ouro no caiaque no Campeonato Sul-Americano de Canoagem, em Paipa 2017 (Colômbia); prata na canoa no Mundial da Alemanha 2016; bronze na canoa no Mundial de Milão 2015 (Itália).

Fernando Rufino (canoagem)

Nascimento: 22/05/1985, Itaquiraí (MS)

História: Fernando sempre teve o sonho de conquistar o mundo montado em cima de um touro. No entanto, após ser atropelado por um ônibus e perder parcialmente o movimento das pernas, o sul-mato-grossense começou na canoagem.

Principais conquistas: Ouro no caiaque e na canoa no Campeonato Pan-Americano 2018 em Dartmonth (Canadá); bronze no caiaque e prata na canoa no Mundial em Mantemor-o-Velho 2018 (Portugal); ouro no Campeonato Sul-Americano de Canoagem, em Paipa 2017 (Colômbia); bronze no caiaque no Mundial de Milão (Itália) 2015.

Yeltsin Francisco Ortega Jacques (atletismo)

Nascimento: 21/09/1991, Campo Grande (MS)

História: Yeltsin nasceu com baixa visão. Ele conheceu o atletismo ajudando um amigo, totalmente cego, a correr. Então, começou a treinar junto com ele para competir e iniciou sua carreira nas Paralímpiadas Escolares em 2007.

Principais conquistas: Ouro nos 1.500m nos Jogos Parapan-Americanos de Lima 2019; ouro nos 1.500m e nos 5.000m dos Jogos Parapan-Americanos de Toronto 2015; prata nos 1.500m e bronze nos 800m no Mundial de 2013 na França.

Silvânia Costa de Oliveira (atletismo)

Nascimento: 23/05/1987, Três Lagoas (MS)

História: Desde criança, Silvânia tem uma enfermidade chamada Doença de Stargardt, por isso, sua visão regride paulatinamente. Seu encontro com o esporte ocorreu aos 18 anos, como uma ferramenta de inserção social.

Principais conquistas: Ouro no salto em distância nos Jogos Rio 2016; ouro no salto em distância nos Jogos Parapan-Americanos de Toronto 2015; ouro no salto em distância no Mundial de Doha 2015.

Ricardo Costa de Oliveira (atletismo)

Nascimento: 14/06/1982, Três Lagoas (MS)

História: Com apenas 2 anos de idade, Ricardo já apresentava dificuldade para enxergar. Em 1996, descobriu que possuía a doença de Stargardt, que já estava em estágio avançado e o deixou cego total. Iniciou no esporte com corridas de rua e depois passou para as provas de pista do atletismo. O atleta competiu pela primeira vez internacionalmente em 2015, no Mundial de Doha, no Catar.

Principais conquistas: Bronze no salto em distância no Mundial de Londres 2017; ouro no salto em distância nos Jogos Rio 2016.

Fabrício Júnior Barros Ferreira (atletismo)

Nascimento: 17/01/1998, Naviraí (MS)

História: Fabrício nasceu com toxoplasmose, doença que afeta a visão. Aos 14 anos, sofreu também descolamento de retina. Conheceu o esporte paralímpico em 2013 por meio de uma associação para deficientes visuais.

Principais conquistas: Bronze nos 100m no Mundial Dubai 2019; ouro nos 100m e bronze nos 400m nos Jogos Parapan-Americanos Lima 2019.

Vilmar Roberto Dias (guia)

Nascimento: 13/12/1982, Fátima do Sul (MS)

História: É um dos guias da maratonista Edneusa de Jesus.

Jornal Midiamax