Esportes

Time de handebol de MS corre contra o tempo e busca doações para participar de campeonato em Recife

Treze atletas mais comissão técnica tentam comprar passagens para competição, realizada semana que vem

Renata Barros Publicado em 12/10/2021, às 09h53

Atletas têm títulos estaduais e estão na expectativa para primeira competição nacional
Atletas têm títulos estaduais e estão na expectativa para primeira competição nacional - Foto: Reprodução

A equipe de handebol feminino Clube Escola APM Eduardo Olímpio Machado se prepara para viver uma etapa inédita, disputando a primeira competição em nível nacional. As 13 atletas, com idades entre 15 e 16 anos, estão na expectativa para a disputa e lutam contra a incerteza da presença no Campeonato Brasileiro De Clubes Cadete Feminino, devido à falta de dinheiro para custear o deslocamento até a cidade de Recife (PE), local de realização do campeonato, que está marcado para o próximo dia 19.

O grupo, por meio da FHMS (Federação de Handebol de Mato Grosso do Sul) chegou a solicitar apoio à Fundesporte (Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul) para custear as passagens aéreas até Recife. No entanto, segundo a Fundação a solicitação de auxílio na locomoção chegou à Fundesporte fora do prazo estabelecido por portaria que normatiza o apoio com passagens aéreas, que seria de no mínimo 30 dias. "Essa regulamentação exige que a solicitação deve ser feita com pelo menos 30 dias de antecedência, devido ao custo volátil das passagens e a necessidade de saldo no contrato", explica por meio da assessoria de comunicação.

Agora, as atletas correm contra o tempo para arrecadar por outros meios o dinheiro necessário para pagar as passagens áreas das atletas e da comissão técnica. A possibilidade de não conseguir chegar a Recife preocupa as jovens jogadoras. “Agora, exatamente a 10 dias do início da competição, de uma estreia tão importante contra o melhor time de Handebol do Brasil, o Esporte Clube Pinheiros, nossas meninas veem os dias de treinos, de academia, de jogos, de trabalho psicológico, irem por água abaixo”, descreve nota assinada por pais, familiares, amigos e torcedores da equipe do Clube Escola APM.

[Colocar ALT]
Meninas treinam constantemente. Foto: Arquivo Pessoal

Trajetória

A equipe composta por atletas que moram nos bairros Coophavila II e Vila Nasser, joga com essa formação desde 2019 e possui títulos de vice-campeã do Centro-Oeste e atual tri-campeã Estadual de Handebol. “Já ganharam jogos escolares, antes da pandemia elas foram contratadas por uma equipe de Presidente Prudente, foram para lá, ficaram praticamente 2020, mas com a pandemia elas tiveram que voltar”, conta o pai de uma das atletas, Fábio César Dias Dantas.

No início de setembro, as atletas participaram da etapa regional Centro-Oeste do campeonato e conquistaram a vaga para disputar a primeira competição em nível nacional da carreira. “Seria fechar com chave de ouro esse período”, comenta Dantas.

Ajuda

As atletas e pessoas ao redor buscam arrecadar a quantia necessária para levá-las a Recife. Como a competição está marcada para o próximo dia 19, a expectativa está nas alturas. “Foi criada uma conta em nome do treinador Ednaldo Silva, que servirá para recebermos doações de qualquer quantia, para tentarmos comprar, até dia 15, as passagens da equipe”, informa a nota.

A equipe busca arrecadar os 2.300,00 para custear o translado das atletas e comissão técnica. As doações podem ser realizadas por PIX, que tem como código o endereço eletrônico do treinador do time: ednaldohand@hotmail.com. Para mais informações, ligue 67 99291-6056 (tratar com Ednaldo).

Em nota, a Fundesporte pede para que "a entidade solicitante do apoio aguarde a liberação de saldo". A Fundação ressalta que "em momento algum houve negativa no pedido, pois ainda estamos fazendo o possível para atender a demanda".

Jornal Midiamax