Rogério Ceni quase saiu como vilão do duelo entre São Paulo e Santos

quase saiu como vilão do duelo entre São Paulo e Santos nesta quarta-feira, mas converteu um pênalti nos minutos finais para assegurar a vitória tricolor por 3 a 2 em um clássico bastante movimentado. O capitão teve uma noite atribulada no Morumbi: além de ter falhado feio no segundo gol santista, defendeu um pênalti de Ricardo Oliveira (que conseguiu marcar no rebote) e ainda levou um cartão amarelo no intervalo, reclamando muito da arbitragem. No fim, porém, ele foi decisivo, dando ao seu time o terceiro triunfo no Campeonato Brasileiro.

Com o gol que definiu a vitória, Ceni chegou a 128 na carreira e igualou Raí como o décimo maior artilheiro da história do São Paulo . Os outros gols foram de Michel Bastos e Paulo Miranda, enquanto Ricardo Oliveira – que quebrou um jejum de quatro partidas sem balançar as redes – descontou duas vezes para o Santos . A equipe tricolor, que agora passa a ser comandada pelo colombiano Juan Carlos Osorio, chegou a 10 pontos e entrou temporariamente no G-4. Já o Santos tem apenas cinco pontos após cinco rodadas.

Em sua última partida como treinador do São Paulo, Milton Cruz mandou a campo um quarteto ofensivo formado por Ganso, Thiago Mendes, Michel Bastos e Pato. Funcionou: o time da casa dominou o primeiro tempo e rondou a área do Santos , que mal conseguiu passar da linha do meio-campo antes do intervalo. Ainda assim, a primeira metade do jogo acabou igual – Michel Bastos abriu o placar com uma pancada em cobrança de falta (e uma certa contribuição do goleiro Vanderlei), enquanto Ricardo Oliveira empatou aproveitando o rebote do próprio pênalti defendido por Ceni.

A segunda etapa até começou com os tricolores melhores em campo, mas uma falha feia de Rogério permitiu que o Santos passasse à frente no Morumbi logo no primeiro minuto: o camisa 1 aceitou entre as próprias pernas um chute de Ricardo Oliveira que foi em cima dele.

Sem Robinho, que é desfalque por estar se preparando para a Copa América com a Seleção Brasileira , o time alvinegro ficou praticamente dependendo só de contra-ataques puxados por Lucas Lima. Foi pouco para segurar o São Paulo , que virou com um gol de Paulo Miranda de cabeça e uma cobrança de pênalti de Ceni. Sem criatividade, o Santos pouco ameaçou até o apito final.

Em um tema que tem se tornado recorrente no futebol brasileiro, o árbitro Thiago Duarte Peixoto causou polêmica com o rigor nos cartões. No intervalo do jogo, Rogério Ceni e o goleiro reserva Renan Ribeiro tomaram cartões amarelos por reclamação; já no segundo tempo, o santista Marquinhos Gabriel foi expulso de foram direta, também por contestar uma marcação do juiz. Indignado na saída de campo após o primeiro tempo, Ceni criticou duramente a arbitragem de Peixoto, dizendo que ele queria “aparecer”. Já no final, após a vitória, o capitão tricolor contemporizou e disse que o árbitro poderia conduzir o jogo “de maneira mais suave”.

Os gols do jogo

 

33min do primeiro tempo – São Paulo 1 x 0 Santos

Michel Bastos arriscou de longe em cobrança de falta com uma pancada, e Vanderlei demorou para reagir. A bola entrou do lado do goleiro do Santos.

46min do primeiro tempo – São Paulo 1 x 1 Santos

Denilson bateu com a mão na bola dentro da área, e o árbitro marcou pênalti. Rogério Ceni defendeu a cobrança de Ricardo Oliveira, mas o centroavante conferiu no rebote.

1min do segundo tempo – São Paulo 1 x 2 Santos

Lucas Lima deu lindo lançamento para Ricardo Oliveira, que finalizou em cima de Rogério Ceni. Mas o goleiro deixou a bola passar por entre suas pernas, falhando feio.

4min do segundo tempo – São Paulo 2 x 2 Santos

Thiago Mendes bateu escanteio da direita e Paulo Miranda apareceu completamente livre para cabecear e empatar o jogo.

39min do segundo tempo – São Paulo 3 x 2 Santos

Daniel Guedes derrubou Carlinhos na área: pênalti. Rogério Ceni bateu firme no meio do gol e definiu a vitória.