Esportes

Camisa amarela no Mineirão? Cruzeiro passa pelo Palmeiras

Equipe minera venceu por 2 a 1

Midiamax Publicado em 09/08/2015, às 22h17

None
rafaelmarquescruzeiroxpalmeiraspedrovilelaagenciai7gazeta.jpg

Equipe minera venceu por 2 a 1

No reencontro do técnico do Palmeiras , Marcelo Oliveira, com seu ex-time, o Cruzeiro se deu melhor, e a camisa amarela com que jogou o Verdão parece não ter dado sorte. Na tarde deste domingo, a equipe paulista foi derrotada pela Raposa por 2 a 1, no Mineirão, em partida válida pela 17ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro . Alisson abriu o placar para o time celeste no início do jogo, Cristaldo empatou e Arrascaeta garantiu a vitória mineira no final. Veja como foi a partida minuto a minuto .

O Palmeiras usou a cor amarela para comemorar os 50 anos em que representou a Seleção Brasileira na inauguração do Mineirão, em 7 de setembro de 1965, quando venceu o Uruguai por 3 a 0 em amistoso, mas não conseguiu repetir o triunfo. Com o resultado negativo, o Verdão continua com 17 pontos na tabela, enquanto o Cruzeiro está com 21 somados e se afastou da zona de rebaixamento.

Pela 18ª rodada, o Palmeiras tem compromisso marcado com o lanterna Coritiba no Couto Pereira, às 19h30 (de Brasília) da próxima quarta-feira. Já o Cruzeiro visita o Joinville na Arena, às 21h (de Brasília) da quinta-feira.

A Raposa precisou de apenas quatro minutos de bola rolando para abrir o placar. Vinícius Araújo roubou bola, invadiu a área pelo lado direito, passou por Egídio, Leandro Almeida e, na hora do chute, Fernando Prass fechou a primeira trave. O camisa 39 viu Alisson na cara do gol e rolou para o companheiro finalizar. O arqueiro alviverde ainda tentou defender, mas a bola já havia passado da linha da meta.

A equipe celeste pressionava e, aos 15 minutos, a partida teve seu primeiro lance polêmico. Marinho entrou na área, dividiu com Egídio e acabou no chão. Porém, o árbitro Wilton Pereira Sampaio não viu irregularidade e mandou o jogo seguir.

O Cruzeiro voltou a reclamar da arbitragem e pedir pênalti aos 44 minutos, quando Vinícius Araújo entrou na área, mas não passou por Leandro Almeida. Wilton Pereira Sampaio, porém, considerou o lance como normal.

Após as duas polêmicas, o juiz sinalizou a marcação de uma penalidade máxima aos 48, em cruzamento de Marinho que tocou no braço de Victor Ramos. Entretanto, o Cruzeiro não soube aproveitar a oportunidade. O próprio atacante fez a cobrança com paradinha, no canto inferior esquerdo do gol, e o chute foi defendido pelo goleiro palmeirense.

Jornal Midiamax