A ACP (Sindicato Campo-grandense dos Profissionais da Educação Pública) se reuniu com a Prefeita Adriane Lopes, na tarde desta terça-feira (11), que garantiu um concurso público ainda para 2023.

“Ainda neste ano vamos lançar o concurso público na Educação. Estamos finalizando os estudos e devemos apresentar tão logo. Sabemos que é uma demanda da categoria, que está há oito anos com este pleito. Vamos analisar cada solicitação apresentada nesta reunião e, dentro da legalidade, buscar soluções”, afirmou Adriane.

Além disso, o presidente da ACP, Gilvano Bronzoni, apresentou à chefe do Executivo Municipal as principais reivindicações da categoria durante a reunião.

“A nossa categoria por vezes é muito enérgica em algumas cobranças, inclusive dentro do próprio Sindicato. Por isso solicitamos a reunião com a Prefeita, para apresentar as demandas dos professores’, disse Bronzoni.

Dentre as pautas debatidas está a proposta de repactuação da lei do piso salarial, eleição nas Emeis e o concurso público da categoria. “Vamos criar uma comissão permanente para revisão de todas as legislações, para que os reajustes e pleitos das categorias sejam atendidos, dentro do processo legal”, garantiu a Prefeita.

Também participaram da reunião os secretários de Governo, João Rocha; de Educação, Lucas Henrique Bitencourt; de Gestão, Evelyse Ferreira, além de superintendentes e assessores técnicos.

Reajuste dos professores

Em fevereiro deste ano, após ampla discussão com a categoria, Adriane enviou à Câmara Municipal o Projeto de Lei que concede o pagamento do reajuste de 10,39%, que será feito em duas parcelas aos professores ativos e inativos da Capital, sendo a primeira de 4% em fevereiro e a segunda, de 6,39%, em junho.

A medida ocorre após a gestão se empenhar em dialogar com a categoria, sempre pautada na ação com responsabilidade e no reconhecimento ao servidor público municipal do magistério, concretizando uma efetiva valorização dos professores e professoras, com resultados positivos aos munícipes campo-grandenses.

Em agosto, a Prefeitura de Campo Grande deve encaminhar à Câmara o Projeto de Lei que trata da repactuação da Lei Municipal 6.796/22.