Mesmo após fim dos lotes programados para o pagamento das restituições do ( de Pessoa Física) 2023, a Receita Federal continua com um calendário ‘residual’ que já injetou R$ 22,3 milhões em .

Esse valor é quase equivalente ao 5º lote pago em setembro, que desembolsou R$ 27.254.853,63 em restituições no Estado. Em outubro, o órgão pagou R$ 9.815.272,38 para 5.844 contribuintes. Já na última quinta-feira (30), 5.973 receberam R$ 12.533.149,23 no lote residual de novembro.

O cronograma de lotes regulares do IRPF terminou com o pagamento do quinto e último lote realizado em setembro de 2023. Por outro lado, os lotes residuais de restituição são pagos após o término dos lotes regulares e destinam-se a restituições que foram processadas posteriormente, devido a retificações ou outras correções na declaração.

Dentre os regulares, a receita pagou R$ 3.146.424.919,54 para 319.939 sul-mato-grossenses entre maio e setembro deste ano. O valor total injetado na economia de Mato Grosso do Sul foi de R$ 3.168.773.341,15.

Confira:

receita federal
Arte: Jornal Midiamax

O que fazer com o dinheiro? 

Esse dinheiro virá em boa hora para a maioria das pessoas. Mas, é preciso muito cuidado na hora de usar, conforme explica o presidente da Abefin (Associação Brasileira de Profissionais de Educação Financeira), Reinaldo Domingos.

Com dinheiro na mão, muita gente corre para satisfazer pequenos desejos de consumo, como aproveitar as últimas liquidações da Black Friday ou trocar algum aparelho eletrônico por um modelo mais novo.

Contudo, na opinião de Reinaldo, é importante ficar atento para não desperdiçar a chance de ajustar a vida financeira.

“A primeira preocupação das pessoas deve ser com as dívidas, quem estiver com financiamentos ou dívidas no cheque especial ou no cartão de crédito deve estabelecer uma estratégia para eliminar o problema. Essas dívidas devem ser as primeiras a serem combatidas, já que as taxas de juros são mais altas do que a lucratividade de qualquer aplicação segura”, adverte.

Neste caso, lembra ele, é fundamental que o consumidor tente renegociar os débitos, buscando reduzir ao máximo os juros e as multas.

Depósito da restituição

A restituição cai na conta bancária informada na Declaração de Imposto de Renda, de forma direta ou por indicação de chave Pix. Se, por algum motivo, não cair o crédito, os valores ficarão disponíveis para resgate por até um ano no Banco do Brasil.

Nesse caso, a pessoa pode reagendar o crédito dos valores pelo Portal BB ou ligando para a Central de Relacionamento BB, nos telefones:

  • 4004-0001 (capitais)
  • 0800-729-0001 (demais localidades)
  • 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos)

Entretanto, caso o contribuinte não retire o valor de sua restituição no prazo de um ano, deverá requerer pelo Portal e-CAC, disponível no site da Receita Federal, acessando o menu Declarações e Demonstrativos > Meu Imposto de Renda e clicando em Solicitar restituição não resgatada na rede bancária.

Saiba Mais