Na rua 14 de julho com a avenida Afonso Pena, centro de Campo Grande, o vendedor ambulante Arnaldo Duarte, 68, apostou na venda de bandeirinhas do Brasil nesta véspera de 7 de setembro, dia da Independência do país.

Porém, a baixa adesão dos clientes está desanimadora. “Só vendi duas bandeirinhas até agora”, diz ele que atribui a situação a “falta de salário da população”. Esta quarta-feira (6) é o 5° dia útil do mês, data limite para o pagamento dos salários de funcionários CLT.

As bandeirinhas dele custam R$ 10 a pequena e R$ 50 a maior para colocar na janela do carro.

Desfile deve reunir 15 mil pessoas

A organização do desfile cívico-militar do Dia da Independência espera receber mais de 15 mil pessoas no evento deste ano, que acontece em Campo Grande nesta quinta-feira, dia 7 de setembro. A recomendação é para que quem for assistir chegue cedo para garantir um bom lugar. 

O desfile começa às 8h10, com revista à tropa militar na Rua 14 de Julho (após a Avenida Mato Grosso), pelo governador Eduardo Riedel e o chefe do Comando Militar do Oeste, general Luiz Fernando Estorilho Baganha. 

Trânsito

A Avenida Afonso Pena será interditada em ambos os sentidos a partir das 20 horas do dia 6 de setembro, entre a Rua Rui Barbosa e a Avenida Calógeras. As ruas 13 de Maio (entre a Dom Aquino e 15 de Novembro) e 14 de Julho também serão bloqueadas a partir deste horário.

No dia 7 de setembro, a partir das 5 horas, a Rua 13 de Maio, onde ocorre o desfile, será totalmente interditada, entre as avenidas Mato Grosso e Fernando Correa da Costa, assim como a Rua 14 de Julho, entre a Fernando Correa da Costa e a Eça de Queiroz. A previsão de liberação das vias, após o desfile de 7 de setembro, deve ocorrer por volta das 13 horas.