Cotidiano / Economia

Milho ultrapassará a soja em produção em MS, prevê associação

Safra em MS foi recorde

Raiane Carneiro Publicado em 07/08/2017, às 17h38

None

Safra em MS foi recorde

O presidente da ABAG (Associação Brasileira do Agronegócio), Luiz Carlos Corrêa Carvalho destacou  durante 16.ª edição do Congresso Brasileiro do Agronegócio, nesta segunda-feira, dia 7, em São Paulo, que o agronegócio deve viver uma nova fase nos próximos anos, em virtude da reforma trabalhista. 

“Ao mesmo tempo em que pesquisas de organismos internacionais indicam que a demanda mundial por cereais deve crescer o equivalente à metade do crescimento registrado nos últimos anos, o agro brasileiro terá grandes mudanças: o milho ultrapassará a soja em produção, haverá uma explosão na produção sustentável, com o avanço da iLPF – Integração Lavoura-Pecuária-Floresta, que atualmente já responde por 11,5 milhões de hectares”, explicou.

De acordo com circular técnica do Siga MS (Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio), a expectativa para a 2ª safra de 2016/2017 a produtividade pode aumentar 45,5%; uma média de 85 sacas/ha. Para agricultores, a estimativa sobe para 90 sacas.

Falando a uma plateia de aproximadamente 900 pessoas entre lideranças setoriais e empresariais, políticos, consultores e profissionais ligados ao agronegócio, Caio Carvalho também chamou a atenção para a necessidade do país promover acordos comerciais internacionais, que ampliem as possibilidades de exportação; reforçar o RenovaBio, para estimular a produção de energia de fonte renovável; além de aprofundar as reformas trabalhistas e tributária. “Nesse sentido, o nosso 16º Congresso abre a possibilidade de debater, com profundidade, as reformas urgentes que o país necessita”, finalizou o presidente da ABAG.

Milho ultrapassará a soja em produção em MS, prevê associação

Reforma trabalhista em debate

Essa edição do Congresso Brasileiro do Agronegócio. Promovido pela Abag (Associação Brasileira do Agronegócio), o evento tem como tema-chave “Reformar para competir”, entre eles a reforma das Leis Trabalhistas e as mudanças no campo.

Outros temas também são abordados, como o impacto da reforma tributária para o setor e as mudanças na política mundial e como elas afetam as exportações.

O evento conta com a presença de juristas, tributaristas, lideranças empresariais e políticas na cadeira do agronegócio.

Jornal Midiamax