Voos regulares terão início em outubro

Quem costuma peregrinar o país para curtir shows internacionais sabe bem que quando as mesmas atrações se apresentam no país vizinho, a conta costumam sair muito mais barata. Foi o caso, por exemplo, de um show da cantora Shakira, realizado em Assunção, em 2011, que levou muitos brasileiros até a fronteira e de lá até a capital paraguaia para curtir o espetáculo da colombiana.

A boa notícia é que a longa caminhada para aproveitar as atrações internacionais está prestes a encurtar. Segundo a titular da Sectur (Secretaria Municipal de Cultura e ), Nilde Brum, voltará a contar com um voo direto para Assunção já a partir de outubro, em um voo operado pela Amaszonas Paraguay, companhia filiada à empresa boliviana de mesmo nome. A informação foi confirmada nesta quinta-feira (31), durante o lançamento do Plano Municipal de Turismo, que traça diretrizes do segmento para os próximos 10 anos.

Aeronave da Amaszonas Paraguay (Divulgação)

.

Segundo a secretária, o voo inaugural está previsto para o dia 4 de outubro, com voos regulares a partir do dia 11 do mesmo mês. “Além de baratear esse tipo de turismo de eventos, a cidade também vai sair ganhando, porque esse voo direto possibilitará intercâmbios. Essas atrações internacionais poderão vir a Campo Grande com custo menor. E o campo-grandense também vai se beneficiar com as viagens internacionais, que podem ficar mais baratas com a escala ou conexão no ”, explica Brum.

Atualmente, os voos para Assunção partindo de Campo Grande só são possíveis com uma conexão em São Paulo, no aeroporto internacional de Congonhas e variam de R$ 800 a R$ 2 mil por trecho, sem as taxas de embarque, com tempo de deslocamento entre a origem e o destino final variando de 14h a 19h, dependendo do voo e do tempo de conexão. Em tese, o voo direto CGR-ASU ficaria mais barato, além de ser mais curto, com cerca de 6h de duração.

Histórico

Capital terá voo direto para Assunção e turismo internacional pode baratear

na qual discutiram sobre a abertura do voo

“Temos o interesse em operar vôos entre Campo Grande e Assunção, mas também temos o projeto de vôos regulares de Santa Cruz de la Sierra até Corumbá, Bonito e Dourados no Estado, e em outras localidades no Brasil e na América do Sul”, apontou Urioste, na época. No mesmo ano, a empresa operou voos diretos de Campo Grande para Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, mas as viagens foram suspensas após serem afetadas pela alta do dólar.

Além de Campo Grande, Curitiba e Porto Alegre também ganharão voos diretos com orgigem no paraguai. Para as viagens, a Amaszonas deverá utilizar uma aeronave do modelo Bombardier CRJ200, com capacidade para 50 passageiros.