Sabão e açúcar são grandes vilões na variação de preço da cesta básica na Capital

Esta foi primeira pesquisa do ano de cestas básicas em Campo Grande
| 06/05/2015
- 18:30
Sabão e açúcar são grandes vilões na variação de preço da cesta básica na Capital

Esta foi primeira pesquisa do ano de cestas básicas em Campo Grande

A primeira pesquisa de itens das cestas básicas com produtos de primeira linha e produtos considerados de segunda linha, comercializadas na Capital foi divulgada nesta quarta-feira (6) pelo Procon-MS, órgão ligado à Sedhast  (Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho).

De acordo com a pesquisa, o sabão em barra teve uma maior variação de produtos da primeira linha de 46,46% em relação ao da segunda linha. Já o açúcar refinado teve uma maior variação de produtos da segunda linha em 39,39% mais caro em relação ao da primeira linha.

A pesquisa ocorreu entre os dias 23 a 28 de abril. Foram pesquisados 30 produtos nos setores da alimentação, limpeza e higiene pessoal. Os produtos foram divididos em primeira e segunda linha conforme a qualidade.

No ranking de variação de preço, o açúcar refinado da segunda linha foi o grande vilão e ficou em primeiro lugar no comparativo de preço. O produto foi encontrado por R$ 1,65 em um dos estabelecimentos e comercializado em outro local pelo valor de R$ 6,98, uma variação em porcentagem de 323,03%.

A margarina de 250g mais barata foi encontrada por R$ 1,29 e a mais cara por R$ 3,49 sendo esta uma variação de 170,54%. Outros produtos que tiveram grande variação de preço foi o macarrão com 151,11%, o extrato de tomate 133,59% e o feijão carioca com 127,85%.

 

Carnes

Em pesquisa realizada no mesmo período foi constatado um aumento de 10,17% nas carnes comparado com pesquisa feita em 04 de março. As maiores variações entre o menor e maior preço estavam no frango (KG), com um percentual 106,23%, paleta suína (kg) 99,79%, músculo bovino (kg) 67,23%, lagarto bovino (kg) 67,15% e filé mignon bovino (kg) 60,20%.

O levantamento dos preços das carnes foi feito em seis estabelecimentos comerciais da Capital. O Procon pesquisou 28 itens, divididos entre carne bovina de primeira e segunda, carne ovina, carne suína e aves. Os estabelecimentos pesquisados foram o Fort, Atacadão, Carrefour, Assai, Extra e Rede Econômica.

Veja também

Afinal, o PIS de 2021 deve ser depositado em 2022 ou ficará só para 2023?

Últimas notícias