Um dos bairros mais lembrados de Campo Grande quando o assunto é o comércio fora do Centro, as Moreninhas vivem um ‘boom’ de lojas em uma das principais ruas da região, a Ipamerim. Com os bairros investindo cada vez mais até se tornar inviável para o consumidor ir até a região da 14 de Julho, nas Moreninhas a promessa de shopping que terá até cinema anima ainda mais os moradores.

Na Rua Ipamerim, prolongamento da Fraiburgo, porta de entrada do bairro, a variedade comercial já ‘dá as caras’ aos visitantes. O comércio central do bairro se expande para as ruas Barueri, Barreiras e Tambaíba, que na região do terminal de ônibus do bairro, ganha movimento com a demanda de passageiros.

Nas Moreninhas, os moradores não precisam andar muito para ter acesso a farmácias, lojas de departamentos, grandes franquias de alimentos e de cosméticos e lojas de variedades. Diferente de quem mora em outros bairros mais isolados da Capital.

Para pagar um boleto ou resolver questões no banco, basta procurar uma agência bancária nas proximidades, caixas eletrônicos, lotéricas, correios, dentre outros comércios e prestação de serviço é coisa muito simples. Como os próprios moradores dizem: tem de tudo.

A ‘cidade Moreninhas’

Moreninhas têm entre 20 e 30 mil habitantes, de acordo com o IBGE | Imagem: reprodução

Por muitos anos considerada um dos bairros mais populosos de Campo Grande, as Moreninhas têm mais de 30 mil habitantes, conforme o censo do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Quando os próprios moradores afirmam que a região é uma cidade, não é para menos. 

O Sisgran (Sistema Municipal de Indicadores) indica que o bairro tem 15 parcelamentos (como o Jardim Nova Capital, Nova Jerusalém e Jardim Santa Felicidade). 

As Moreninhas têm cinco creches, duas escolas municipais, quatro escolas estaduais, quatro unidades de saúde, dois centros de assistência social, uma delegacia (4ª DP), um batalhão da Polícia Militar (6ª Companhia), Corpo de Bombeiros, unidade da Guarda Municipal, dentre outros equipamentos e infraestrutura pública.

‘Temos o nosso próprio centro comercial’

Cris é dona da loja que leva o seu nome, ‘Cris Presentes’ | Foto: Nathalia Alcântara, Midiamax

Moradora das Moreninhas há 40 anos e comerciante há 20, Cris Presentes, como gosta mesmo de ser chamada, migrou a sua loja de variedades para a rua Ipamerim há oito anos. A clientela é tão bem fidelizada que garantiu a expansão.

“No ano passado investimos na expansão da loja. Hoje as Moreninhas têm o próprio centro comercial, as pessoas não precisam mais se deslocar para fazer suas compras ou resolver qualquer coisa. Aqui tem tudo. Vendemos de tudo aqui, conforme o período do ano”, disse Cris.

Por exemplo, para os pais que têm a missão de comprar o material escolar dos filhos neste começo de ano, o comércio de Cris já preparou o estoque e garante as melhores ofertas. Assim como no Dia das Mães, Dia dos Pais e Dia das Crianças, a loja se adéqua às datas comemorativas para garantir o presente dos moradores das Moreninhas.

Foto: Nathalia Alcântara, Midiamax

De consumidora a comerciante

Há pouco mais de um ano, Maria Aparecida Cruzeiro, passou de consumidora à comerciante nas Moreninhas. Proprietária da Arte Vida Aviamentos, Maria diz que a ideia de montar o comércio surgiu principalmente da experiência como compradora.

“O que temos visto nesses últimos anos é um crescimento legal no comércio, que está muito avançado. Temos franquias aqui no bairro, não precisamos mais sair para comprar. Eu mesma procuro comprar tudo o que preciso aqui mesmo, investindo no bairro que eu moro. Nunca mais precisei ir no centro da cidade para comprar alguma coisa”, comenta.

Maria Aparecida é comerciante | Foto: Nathalia Alcântara, Midiamax

Ela comenta como conquistar os clientes que às vezes dão ‘uma chorada’ no valor dos produtos.

“Tem cliente que vem aqui e fala que não vai no centro da cidade procurar o barbante que quer, porque prefere esperar eu trazer. Teve uma cliente que chegou procurando barbante e achou caro, mas eu falei para ela analisar, sobre o passe de ônibus para ir e voltar, o tempo para se deslocar. Foi aí que ela resolveu comprar aqui”, disse.

Maria diz que, assim como ela, conhece muitas pessoas que deixaram a necessidade de se deslocar para realizar as compras e compreenderam o esforço dos empreendedores que levam as variedades ao bairro.

“O morador das Moreninhas está com outra mentalidade. Eles entenderam que quando alguém investe no bairro [abrindo um comércio] eu sou o principal favorecido”, analisa.

Falta algo nas Moreninhas?

Com um dos bairros mais desenvolvidos de Campo Grande, é até curioso questionar se falta algo na região com os inúmeros serviços. Cris Presentes não soube responder, dona Maria disse que queria mais lojas de calçados. Mas afinal, falta algo no bairro?

Joel trabalha em clínica e pet shop | Foto: Nathalia Alcântara, Midiamax

Joel Cabral trabalha há três anos no Cão Q Late Pet Shop – que foi criado há 27 anos, sendo somente na Rua Ipamerim, com raízes há 4. Ele comenta que os moradores enxergam nas Moreninhas uma verdadeira cidade, onde tudo é encontrado no centro comercial.

Na Rua Iparemim, ele diz que até no período crítico da pandemia as vendas foram altas. “Foi a época em que mais vendemos. Foi uma época que as pessoas não saíam de casa, mas faziam os pedidos de casa. O pet shop hoje é igual um mercado, o bicho não deixa de comer. Pode ser que algumas coisas deixaram de vender, mas o principal não”, afirma.

De loja de presentes a loja de aviamentos e pet shop. O que falta no bairro? Joel relembra a conversa com os colegas de trabalho. “Esses dias comentamos que a única coisa que falta aqui nas Moreninhas é um cartório. Só isso”, diz. Ele também pontua a necessidade dos moradores em ter a entrada do bairro melhor estruturada.

Moreninhas terá até cinema

Uma das grandes novidades do bairro para os próximos anos é a construção do Shopping das Moreninhas, que ficará na Av. Gury Marques, esquina com a Av. Cafezais.

A estrutura contará com mais de 200 lojas, entre elas, seis megalojas e sete âncoras, 23 opções de alimentação, cinema, praça de eventos e estacionamento com mais de 1,5 mil vagas. Até o momento, mais de 50% dos espaços já foram vendidos, inclusive com confirmação de várias âncoras e cinema.

A previsão de inauguração do shopping é para 2024. Foto: Reprodução

Confira mais matérias da série do Midiamax sobre o comércio nos bairros