A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) concedeu autorização de licenciamento e ativações de estações de tecnologia 5G, na faixa de 3,5 GHz, para 78 municípios localizados próximos a capitais ou cidades com mais de 500 mil habitantes que já dispõem da tecnologia. Em Mato Grosso do Sul, nenhuma cidade do interior foi contemplada e apenas Campo Grande continua com o sinal.

A decisão tomada pelo Grupo de Acompanhamento da Implantação das Soluções para os Problemas de Interferência na faixa de 3.625 a 3.700 MHz (Gaispi) e passa a valer a partir desta quarta-feira (25).

Segundo a Anatel, a medida abrange municípios onde a Entidade Administradora da Faixa de 3,5 GHz (EAF) iniciou a migração da recepção do sinal de televisão aberta e gratuita por meio de antenas parabólicas na banda C satelital para a banda Ku, além de já ter começado também o agendamento para instalação de kits receptores à população de baixa renda, entre outras medidas de desocupação da faixa que será usada para o novo serviço. 

A oferta do serviço é facultativa às operadoras de telecomunicações detentoras de outorgas e elas é que devem solicitar a ativação para a Anatel. Isso se dá porque a obrigação de estabelecer a tecnologia 5G nessas localidades ainda termina em 2025.  

Até agora, 140 municípios foram liberados pelo Gaispi para utilização da faixa de 3,5 GHz por estações do 5G. Com isso, 38,5% da população têm potencial para ser beneficiada, de acordo com as ativações das prestadoras. A previsão da agência é que até o fim deste semestre mais 160 cidades sejam liberadas para ativar o sinal do 5G.

A Anatel adverte que quem recebe as transmissões da TV aberta pela antena parabólica precisa adaptar o equipamento para evitar eventuais interferências. Inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) que recebem sinal da TV aberta por parabólica podem solicitar o kit gratuito para a adaptação do equipamento à Siga Antenado, nome fantasia da EAF.

Os 78 municípios contemplados com a possibilidade de antecipar o 5G estão localizados nos estados de São Paulo, de Minas Gerais, de Santa Catarina, do Pará, do Espírito Santo, do Rio Grande do Sul, do Paraná, de Pernambuco, do Rio de Janeiro e da Bahia. 

5G em Campo Grande

No início do ano, a cobertura 5G foi ampliada em Campo Grande, possibilitando acesso de internet mais rápida em cinco novos pontos da Capital. Em dezembro, saltou de 86 para 91 o total de estações que abastecem o sinal de usuários campo-grandenses 

Conforme regra da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), até o dia 31 de julho de 2023 todas as capitais brasileiras devem ter uma estação 5G a cada 50 mil habitantes. Em Campo Grande, a exigência significa algo em torno de 20 pontos para cada operadora atuante. Nesse quesito, a Capital sai à frente e já cumpre o índice estabelecido, mesmo seis meses antes do fim da data limite.

Dados do painel da Agência de Telecomunicações mostra que, atualmente, a cidade conta com 86 estações 5G, sendo 30 da Claro, 26 da empresa Vivo e outras 26 da Tim.

Apesar do aumento no sinal, as torres 5G ainda limitam-se ao Centro de Campo Grande e a bairros vizinhos, reflexo da preferência por fornecer sinal forte nas regiões com maior circulação de pessoas.

Com 91 redes do novo sinal de internet, Mato Grosso do Sul ocupa a 13ª posição no ranking de estados com maior conectividade, à frente de locais como Santa Catarina, Espírito Santo e Mato Grosso, por exemplo. 

*Com informações Agência Brasil