Pouco mais de 10 dias após aumentos no preço dos combustíveis, impactado pela volta da cobrança de imposto federal, abastecer em Campo Grande voltou a pesar alguns centavos a menos no bolso do consumidor. Nesta segunda-feira (13), o Jornal Midiamax encontrou o litro da gasolina sendo vendido a R$ 4,89.

Na semana passada, após a volta da oneração federal, válida desde 1º de março, o litro da gasolina chegou a custar R$ 5,49 na Capital.

Os valores encontrados pela reportagem nesta segunda podem ser conferidos na abaixo:

Posto Shell – Afonso Pena com a Arthur Jorge
Gasolina Comum R$ 5,19
Gasolina Aditivada R$ 5,59
Etanol Comum R$ 3,79
Diesel S10 R$ 5,99

Posto Faleiros Afonso Pena com 13
Gasolina R$ 4,99
Etanol R$ 3,79
Diesel s10 R$ 5,89

Posto Faleiros Calógeras
Gasolina R$ 4,99
Etanol R$ 3,79
Diesel R$ 5,89

Posto Pororoca Calógeras
Gasolina R$ 5,19
Etanol R$ 3,79

Auto Posto José Antônio
Gasolina R$ 4,99
Etanol R$ 3,79

Auto Posto 26 de agosto
Gasolina R$ 4,89
Etanol R$ 3,59

Posto Gueno Prosa Fernando Corrêa
Gasolina R$ 4,99
Etanol R$ 3,69

ICMS da gasolina

Em meio à volta da cobrança dos tributos federais, Mato Grosso do Sul pode ter ainda mais aumento no preço do combustível. Isso porque o Governo do Estado discute com outras unidades da federação a volta da cobrança do ICMS sobre o combustível.

Ainda não se sabe para quanto o governo de MS pode reajustar o valor, a partir do fim dos efeitos da limitação do . No entanto, estudo do Comsefaz (Comitê Nacional dos Secretários de Fazenda dos Estados e do Distrito Federal) aponta que deveria ficar em pelo menos 20,7% para evitar perdas ao Estado.

O aumento da alíquota seria suficiente para repor perdas estimadas em R$ 1,2 bilhão que o Estado teria em 2023 com a redução do imposto adotada em junho do ano passado.

Já para o bolso do consumidor, o preço da gasolina poderá saltar R$ 0,69, o que significaria uma elevação do preço médio por litro dos atuais R$ 5,79 para R$ 6,49.

R$ 237 milhões para compensar

Na semana passada, o governador Eduardo Riedel (PSDB) informou que Mato Grosso do Sul deve receber cerca de R$ 237 milhões para cobrir perdas causadas pela redução do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre combustíveis. O acordo começou a ser costurado após reunião do Fórum dos Governadores, realizada na última semana.

De acordo com Riedel, os governadores decidiram o valor na manhã da quinta-feira (9), mas o acordo ainda deve ser enviado ao Governo Federal. Apesar disso, a expectativa é de que o pedido seja homologado.

Saiba Mais