A (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) abre na próxima segunda-feira (26) inscrições para capacitação em língua francesa, voltada para a comunidade externa, alunos e servidores.

O curso é oferecido pela Embaixada Francesa do Brasil, por meio do Serviço de Cooperação e Ação Cultural, e a Universidade, com atuação da Serin (Secretaria de Relações Internacionais) da Aginova (Agência de Internacionalização e Inovação) e Faculdade de Artes, Letras e Comunicação.

São quase 100 vagas disponíveis no processo seletivo que permite contato com professores de países francófonos, da área de Linguística. “A língua francesa tem uma importância internacional, já que o francês é um idioma falado em muitos países ao redor do mundo, incluindo França, Canadá, Bélgica, Suíça, em várias nações africanas e incluso em algumas nações asiáticas. É também uma das línguas oficiais da União Europeia, das Nações Unidas, da UNESCO, da Cruz Vermelha Internacional, e de outras organizações importantes”, destaca o professor Loïc Le Morvan.

“Conhecer francês pode abrir portas para oportunidades profissionais em diversos setores, incluindo turismo, diplomacia, comércio internacional. O francês é uma língua importante nos negócios globais, especialmente em setores como moda, gastronomia, luxo, e indústrias criativas. Muitas empresas multinacionais valorizam funcionários que são proficientes em francês”, completa Loïc.

O curso tem níveis básico e intermediário, além do Clube de Conversação – Langage Café, aberto a participação de todos. A duração é de 45 horas e as aulas são realizadas duas vezes por semana, presencialmente e em formato remoto. Para o curso de francês intermediário são 30 vagas. Já para o básico a distância são 24 vagas. Para o francês instrumental, Franmobe 1, são 40 vagas. Do Langage Café podem participar até 40 pessoas, os encontros são semanais e tem duração de 1h30, sempre às quintas-feiras, das 18h às 19h30.

Os interessados podem se inscrever até 1° de março neste link.

Metodologia

“Minhas aulas de francês são baseadas na metodologia comunicativa e na perspectiva de ação. Em termos concretos, isso significa colocar os estudantes em situações que eles podem encontrar na vida real, para ensiná-los a entender e se comunicar com eficiência em francês. Portanto, nos concentraremos mais especificamente no francês em um contexto universitário, com o qual os alunos poderão participar de um programa de intercâmbio”, ressalta o professor Loïc.

Ele reforça que, no de cada sequência, pede aos alunos que realizem uma ação, ou seja, algo que eles talvez tenham de fazer na vida real. Por exemplo, fazer um vídeo para se apresentar, escrever uma carta de apresentação, planejar um cardápio para a semana, entre outros. “Isso os ajuda a ver o progresso que fizeram e a entender o que estão fazendo”, diz.

O curso Franmobe 1 é dirigido para estudantes iniciantes e, portanto, não requer qualquer conhecimento prévio. Por exemplo, para participar no curso Franmobe, o não precisa necessariamente ter um projeto de mobilidade bem definido, uma vez que um dos objetivos é justamente construí-lo.

“No entanto, para os cursos de Ensino à Distância 2 e Francês Intermediário 1, é necessário um nível mínimo de francês A1. Consulte o editorial. De forma geral, espero simplesmente que os estudantes sejam envolvidos e proativos. A este respeito, vou pedir aos estudantes que realizem exercícios com uma duração máxima de 10 a 15 minutos entre cada aula, o que tornará a aprendizagem mais eficaz. Além disso, os estudantes serão encorajados a fazer propostas ou sugestões, por exemplo, se quiserem estudar ou conversar sobre um elemento específico”, explica.

Le Morvan destaca que a partir de março, será reaberto o clube de conversação em francês todas as quintas-feiras, entre 18h e 19h30, para pessoas que já sabem um pouco de francês. “Esse clube de conversação está aberto a todos, inclusive à comunidade externa. Faremos jogos em francês e conversaremos sobre vários assuntos de escolha dos participantes”, comenta.