O sentimento dos moradores no Nova Campo Grande é de abandono. Encaram a sensação de desprestígio, visto que é um bairro antigo, planejado ao lado do Aeroporto Internacional de Campo Grande, mas que ainda encara problemas como se fosse iniciante na área urbana, com várias ruas sem asfalto, esburacadas e cheias de lama. 

Além disso, não é raro que os moradores denunciem o mau cheiro oriundo de uma planta frigorífica na região. O caso virou até alvo de processos na Justiça pedindo indenizações por danos morais ambientais e desvalorização das residências. 

Contudo, cada vez que chove, mais uma página é adicionada nesta novela chamada Nova Campo Grande. Pular buracos e saltar poças parece a mais recente “gincana” nada engraçada para sair de casa após as últimas chuvas. O cenário de “se vira nos 30” dificulta o trânsito de pessoas e veículos em várias vias, como nas 103, 104, 107, 70 e 76. 

Moradores encaram lamaçal para entrar e sair de casa. (Nathalia Alcântara, Jornal Midiamax)

Um micro-ônibus com trabalhadores chegou a ficar preso na lama da Rua 107 na madrugada deste sábado (13). Uma das rodas ficou imobilizada no bairro e o veículo inclinado. Os moradores afirmam que o problema estaria no trânsito de maquinário pesado nas ruas enlameadas, o que aprofunda os problemas diante de novos buracos. 

(Nathalia Alcântara, Jornal Midiamax)

A reportagem esteve no bairro, neste sábado (13), e flagrou um motoentregador caindo no barro da Rua 110. Ele tinha acabado de fazer uma entrega e seguia pela via quando a motocicleta deslizou e a queda aconteceu. Ele não ficou machucado, mas a roupa e o veículo ficaram enlameados.

“Muito difícil ter que se virar, dar um jeito para conseguir andar”, afirma o motoentregador GIlson Rodrigues. 

O aposentado Aristides Ferreira olhava meio desalentado a situação da rua. O idoso empurrava um carrinho de mão a procura de uma oficina mecânica para remendar o pneu furado.  

“Estou tentando chegar até a uma borracharia, mas está difícil. Isto é uma vergonha para Campo Grande, o bairro pertinho do Aeroporto Internacional e está nessa condição. Já eram para ter feito melhorias há muito tempo”, reclama. 

Desafio para sair de casa

Água empoçada no bairro Nova Campo Grande. (Nathalia Alcântara, Jornal Midiamax)

O morador Carlos Augusto Gomes trabalha com manutenção de aeronaves e expõe o drama que é entrar e sair de casa, mesmo para ele que possui carro e moto. “A gente deixa de fazer muitas coisas porque além do risco de atolar tem o transtorno de sujar o carro. Entra e sai, limpa a casa, a gente deixa de ir ao mercado e vai adiando até quando dá”, se queixa. 

O jardineiro Claudionor Trindade não consegue nem sair de casa com a carretinha para trabalhar. Está há uma semana parado porque a lama impede que os veículos atravessem o cenário quase de rally da região. 

(Nathalia Alcântara, Jornal Midiamax)

Ele relembra duas situações recentes que testemunhou: um motociclista que não conseguiu chegar em casa após a roda do veículo ficar presa no barro e de uma mãe que caiu com o filho na lama após se desequilibrar da bicicleta. 

”Eu mesmo estou há uma semana sem trabalhar porque não consigo passar com a minha carretinha e fazer os meus trabalhos em jardinagem. A gente não reclama das melhorias que estão sendo feitas no bairro, mas desta situação, tem que deixar a via transitável”, pede.

O que diz a Prefeitura?

O Midiamax já havia entrado em contato com a Prefeitura na manhã deste sábado para perguntar sobre a previsão de levar o asfalto para a região. Em resposta, o poder público informou apenas que a Sisep (Secretaria Municipal De Infraestrutura E Serviços Públicos) vai verificar o andamento da solicitação.

Fale com o Midiamax

Tem alguma denúncia, flagrante, reclamação ou sugestão de pauta para o Jornal Midiamax? Envie direto para nossos jornalistas pelo WhatsApp (67) 99207-4330. O anonimato é garantido por lei.

Acompanhe nossas atualizações no Facebook, Instagram e Tiktok.