Mesmo usada para uso contemplativo, a paisagem da Estrada-Parque Piraputanga agora conta com carretas gigantes com carregamento de eucalipto para o desgosto de moradores sul-mato-grossenses.

Com aval da Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos), a MS-450, conhecida como Estrada-Parque Piraputanga, recebe 20 viagens de tritrens da Suzano por dia em pleno bioma de Pantanal.

O Jornal Midiamax divulgou que a região virou rota de escoamento de eucalipto por meio de tritrens, caminhões com três semirreboques, espécies de ‘vagões’, com destino à indústria Suzano e capacidade para transportar até 74 toneladas de carga bruta.

“Acabou o sossego”, reclama um morador em comentário nas redes sociais. “Não dá pra imaginar tamanha crueldade que vão fazer com nosso canto de lazer finais de semana. E na serra? Vão acabar com a estrada. Tem lugar ali que já está no limite; sem acostamento”, questiona outra internauta.

“Daqui uns dias vai estar só buracos. Nossa tão sonhada estrada-parque”, lamenta a moradora em outro comentário. São estimadas pela empresa pelo menos 20 viagens diárias de caminhões carregados de eucalipto pela estrada construída pelo próprio Governo do Estado, com cunho contemplativo e como forma de fomentar o na região.

O investimento feito nos últimos anos deu certo e é crescente o número de de veículos, motos e bicicletas na região que também é área de proteção ambiental.

Suzano em MS

A empresa que tem indústrias de celulose em Mato Grosso do Sul adquiriu 4,5 mil hectares de eucalipto na Fazenda Lageado, em Dois Irmãos do Buriti, e assinou contrato de três anos para retirada de 40 mil metros cúbicos de madeira de eucalipto por mês.

Acontece que a propriedade está localizada na estrada-parque, por onde os caminhões terão de circular por 11 quilômetros até chegar à BR-262.

Com a negociação da Suzano para compra de eucalipto, com aval do Governo para o transporte na região, moradores e empresários da estrada-parque foram pegos de surpresa e, desde então, tentam lidar com a situação.

Racha no conselho de preservação

Com autorização da Agesul e sem a necessidade de aval ambiental, o Conselho Consultivo da Área de Proteção Ambiental Estrada-Parque Piraputanga iniciou tratativas para construir uma parceria com a Suzano, já que não há formas de impedir que o transporte de eucalipto aconteça.

Porém, o caso ganhou repercussão com a decisão da SOS Pantanal de deixar a cadeira que ocupava no conselho com a alegação de que manifestou diversas preocupações com o aumento de tráfego de caminhões na região, mas não houve mudanças significativas no processo de autorização do uso da Unidade de Conservação, o que se concretizou por meio da omissão da Agesul e do Imasul.