Campo Grande vive o risco de uma nova epidemia de dengue, com a volta do sorotipo 3 do vírus, e ficar atento à limpeza dos quintais é essencial para evitar a proliferação do Aedes aegypti. A população pode contribuir com a limpeza da cidade, denunciando locais com acúmulo de entulhos ou lixo.

A Prefeitura de explica que a população que deseja realizar uma reclamação ou denúncia sobre situações envolvendo descarte irregular de lixo, acúmulo de criadouros do Aedes aegypti, ou qualquer outra relacionada à saúde pública, pode ligar na Ouvidoria da Sesau, através do telefone 3314-9955.

Com a reclamação formalizada, será gerado um número de protocolo, que o munícipe poderá utilizar para acompanhar a resolutividade do problema. A partir da denúncia, a equipe da Coordenadoria de Controle de Endemias Vetoriais vai até o endereço para verificá-la. Se confirmada, é elaborado um termo para regularização da situação, com prazo de 30 dias.

Outras situações, como obstrução de calçadas, pedidos de em ruas e outros, podem ser denunciados pelo telefone 156 ou ainda no site https://fala.campogrande.ms.gov.br/.

Casos de dengue em crescimento

O número de de dengue cresceu 30,82% na quarta semana de janeiro, passando de 146 para 191. Os dados são do boletim epidemiológico da SES-MS (Secretaria Estadual de Saúde de Mato Grosso do Sul). 

O Estado continua sem óbitos confirmados, mas investiga a primeira morte que pode ter sido causada pela doença neste ano. O número de casos prováveis também subiu, saindo de 1.019 para 1.424 nos últimos sete dias, o que representa 39,74%. 

Vacinação contra a dengue começa em fevereiro

Todos os 79 municípios de serão contemplados com a vacina contra a dengue, anunciou o Ministério da Saúde. A informação inicial era que apenas cidades com mais de 100 mil habitantes receberiam o imunizante – o que no caso do Estado abrangeria Campo Grande, e Três Lagoas, mas a pasta decidiu ampliar o número de cidades contempladas em Mato Grosso do Sul.

O ministério não informou o motivo de contemplar todas as cidades, mas Mato Grosso do Sul possui alta incidência para a doença. O único município do Estado que não deve ser incluído nesta nova estratégia é Dourados, que foi o primeiro do país a aplicar a vacina Qdenga e possui parceria com a farmacêutica. 

(Foto de capa: Henrique Arakaki, Jornal Midiamax)