Com 6 mil redações nota mínima (100), o vestibular da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) causou indignação entre os candidatos e resultou em 1.169 pedidos de revisão das notas da prova. No entanto, aqueles que apresentaram recursos terão que aguardar até 26 de janeiro para ter acesso aos resultados definitivos das avaliações.

Segundo a Fapec (Fundação de Apoio à Pesquisa, ao Ensino e à Cultura), dos 1.169 recursos relacionados à fase da prova de redação, 37 foram apresentados por candidatos que obtiveram pontuação 100, ou seja, zeraram. Os demais recursos foram submetidos por candidatos que receberam notas abaixo do esperado.

Do total de candidatos, a Fapec alega que 401 efetivamente zeraram a prova devido ao descumprimento dos critérios e requisitos do edital. Enquanto, 6.203 obtiveram nota 100 por desvio do tema e/ou da tipologia textual proposta.

Além das redações ‘zeradas’, nenhum candidato alcançou a pontuação máxima, e a média das notas na redação foi de 314 pontos.

Vestibular da UFMS
Vestibular da UFMS (Divulgação)

Questionada sobre o processo de análise dos recursos, a Fapec afirmou que todos os candidatos que contestaram as notas nesta fase terão suas provas (redações) reavaliadas conforme os argumentos apresentados nos recursos.

“A banca revisa as redações e analisa também o recurso para deferi-lo ou indeferi-lo posteriormente”, afirmou.

Apesar do alto número, os recursos correspondem a cerca de 7% do total de candidatos inscritos. Vale ressaltar que qualquer candidato, independentemente da nota obtida, poderia solicitar a revisão por meio de recurso contra o resultado da prova de redação, desde que a solicitação ocorresse no período especificado no edital, de 12 a 14 de janeiro.

Para verificar os resultados, os candidatos devem aguardar a divulgação em 26 de janeiro e conferir na aba ‘Área do Candidato’ no site: fapec.org/concursos a avaliação dos recursos apresentados.

6 mil redações zeradas

UFMS
Campus da UFMS (Arquivo Midiamax)

Sob protestos e alegações de inconsistência, candidatos que realizaram o vestibular da UFMS contestaram o resultado preliminar das provas divulgado na última quinta-feira (11). Os resultados indicam que 6.032 redações, cerca de 50% dos candidatos que realizaram a prova presencial, obtiveram nota 100, ou seja, tiveram a redação zerada.

Diante dos inúmeros questionamentos e da movimentação nas redes sociais, a Fapec alegou que o alto número de redações zeradas e notas baixas se deve ao não cumprimento dos requisitos básicos exigidos para a elaboração da redação.

“Essas notas deve-se ao não cumprimento ou cumprimento parcial, dos cinco critérios básicos para a redação, os quais são: adequação temática; organização e progressão textual; estrutura e desenvolvimento do texto dissertativo-argumentativo; aspectos de coesão e coerência do texto; e emprego da norma padrão da Língua Portuguesa”, disse.

Segundo a instituição, a adequação temática é um dos principais quesitos para a avaliação. No caso de fuga ao tema, por exemplo, o texto não é considerado pela banca avaliadora, e o candidato recebe a nota padrão de 100 pontos.

Candidatos alegam dificuldade em contatar a Fapec

reprodução

O prazo para recorrer ao resultado preliminar encerrou no último domingo (14), contudo, candidatos afirmam não ter conseguido ao menos entrar em contato com a Fapec.

Uma candidata, que teve a redação zerada, relata que tentou contato com a Fapec por todos os meios de comunicação para solicitar esclarecimentos, mas não obteve resposta.

“Nenhum canal que disponibilizaram me atendeu, tentei desde sábado (13). Cheguei a ir até a Fapec e nada. Eles não podem brincar assim com o futuro das pessoas”, disse a mãe da candidata.

Segundo a mãe, caso não consiga recorrer à nota, pretende entrar na justiça contra a banca organizadora.

“Consegui falar com uma pessoa da Fapec, minha filha mandou o recurso. Mas fui informada que eles não podem fazer nada. Minha filha sempre foi uma aluna com notas máximas em redação. Acho bem pouco provável ter zerado justo essa, por isso vou lutar”, diz.

Candidatos relatam que tiveram seu sonho interrompido (Arquivo Midiamax)

Nas redes sociais, o professor de história Henry Guimarães tem auxiliado candidatos que tiveram a redação zerada e demais problemas com o vestibular. Segundo ele, após o término do prazo, vários alunos entraram em contato relatando que não conseguiram interpor o recurso.

“Alguns alunos me mandaram mensagem falando que não tiveram acesso e nem resposta, o que impossibilitou entrar com recurso”, disse.

De acordo com ele, outro aluno precisou ir até a Fapec e só teve acesso à nota após o pai ‘fazer um barraco’. “A nota apareceu, mas colocaram que ele tirou 100 e tangenciou o tema”, ressalta o professor.

Segundo o professor, além de não esclarecer as demandas dos candidatos, a Fapec não abriu a possibilidade de um recurso administrativo para analisar os problemas.

“O aluno poderia entrar com medida judicial. Porém, até isso correr na justiça o processo do vestibular já terminou. E a banca pode colocar que ele tirou 100 e de nada serviria”, lamenta.