A mudança do modelo de placas para o Mercosul completa 6 anos em Mato Grosso do Sul neste mês de fevereiro. Neste período, apenas 652 mil veículos, número que representa 35,2% da frota estadual, já adotaram a placa Mercosul, segundo dados do Detran-MS (Departamento Estadual de de Mato Grosso do Sul).

Ainda de acordo com o órgão, dos 652.674 veículos que rodam com o novo modelo, 220.749 são da Capital e 431.925 mil são do interior de Mato Grosso do Sul. O Estado ainda tem 1,2 milhão de veículos rodando com a placa antiga, número que representa 64,7% da frota total de 1,85 milhão de veículos.

A troca da placa não é obrigatória para todos os veículos. A placa Mercosul é adotada em veículos 0 km e em casos de transferência de propriedade com município ou unidade federativa distintos ou em caso de se constatar em vistoria, dano ou violação da placa.

Mas, caso queira, o proprietário também pode optar pela troca da placa. Desde 2018, o maior número de trocas aconteceu em 2021, com 114.785 conversões. Veja o número completo no gráfico abaixo.

Placas convertidas para Mercosul em MS nos anos de 2018 a 2024 (Madu Livramento, Midiamax)

Placa Mercosul custa R$ 260 em MS

O (Departamento Estadual de Trânsito de MS) disponibiliza uma de empresas credenciadas para a realização do serviço e o preço da placa Mercosul para veículos custa R$ 260, em média. Já para motos, o valor da placa é R$ 170, em média.

Ao longo de 2023, o preço subiu cerca R$ 50. Em dezembro, reportagem do Jornal Midiamax mostrou o preço médio do emplacamento é R$ 260, variando até R$ 280. O valor atual do serviço, tanto na Capital quanto no interior, segue com o mesmo preço.

Veja a lista completa de empresas credenciadas pelo Detran/MS para emplacamento.

Mudança de combinação e design

A placa cinza pré-Mercosul tem uma combinação de três letras e quatro números, já o modelo Mercosul é formado por três letras, um número, outra letra e dois algarismos, nessa ordem. Segundo o Contran (Conselho Nacional de Trânsito), a troca de um número por uma letra permite uma quantidade maior de combinações alfanuméricas.

Além de possibilitar mais placas, o atual modelo também foi criado com o objetivo de dificultar falsificações e padronizar as placas dos países que integram o Mercosul. O Uruguai adotou a placa em 2015, Argentina, em 2016, Brasil, em 2018 e Paraguai, em 2019. No entanto, a placa Mercosul só passou a ser obrigatória para todos os veículos novos no Brasil a partir de 2020.

Apesar de a cidade de origem do veículo não constar na placa Mercosul, um aplicativo oficial do governo federal chamado Sinesp Cidadão, fornece essa informação, assim como a situação de regularidade do automóvel.