Até no domingo, o na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Bairro Santa Mônica repete realidade dos últimos dias: unidade lotada e longas horas de espera. Na manhã de hoje (26), pacientes relataram demora de até quatro horas por avaliação médica. 

“Estou aqui no posto, tem mais de 40 pessoas só triadas, mas não chamam diz. A gente pergunta, dizem que não tem médico, reclamamos na , mas ninguém resolve nem faz nada. Eu tenho 65 estou, estou a quase quatro horas esperando e nada”, comentou idosa com suspeita de dengue, que aguardava ser atendida. 

Em vídeo enviado por outro morador, é possível notar todos os bancos da sala de espera cheios, enquanto outros pacientes aguardam em pé, aglomerados na entrada da unidade. “Tem gente esperando desde antes da troca de plantão”, comentou o paciente. 

Sesau alega alta demanda

Em nota, a Sesau informou que três estavam fazendo o atendimento na unidade. Mas, “em razão da alta demanda, a coordenação de urgência enviou uma equipe de apoio para reforçar a assistência dos pacientes. Cabe esclarecer que o atendimento nas unidades de urgência e emergência, ou seja, nas UPSs e CRSs, se dá por classificação de risco e não por ordem de chegada”.

Casos mais graves são priorizados em detrimento daqueles classificados como azul e verde , de menor gravidade. Para estes casos , conforme o protocolo de classificação de risco, o tempo de espera por atendimento é de até 4h podendo variar para mais ou menos, de acordo com a demanda.

(Matéria atualizada às 17h14 de 27 de março de 2023)

💬 Receba notícias antes de todo mundo

Seja o primeiro a saber de tudo o que acontece nas cidades de Mato Grosso do Sul. São notícias em tempo real com informações detalhadas dos casos policiais, tempo em MS, trânsito, vagas de emprego e concursos, direitos do consumidor. Além disso, você fica por dentro das últimas novidades sobre política, transparência e escândalos.
📢 Participe da nossa comunidade no WhatsApp e acompanhe a cobertura jornalística mais completa e mais rápida de Mato Grosso do Sul.

Saiba Mais