tem 1.396 pacientes hospitalizados em decorrência de SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave), são 170 a mais que há uma semana. As crianças seguem sendo a as mais afetadas, representando 50% dos casos entre zero e 9 anos de idade.

Os dados são do boletim epidemiológico da SES (Secretaria Estadual de Saúde), divulgado nesta terça-feira (28). Apesar do “surto” de doenças respiratórias em crianças ser generalizado, Campo Grande e Corumbá são as cidades com maior demanda.

Em Campo Grande estão 755 notificações de SRAG e em Corumbá são 84, sendo os dois municípios com maior número de casos notificados. A incidência de SRAG é alta também em , Fátima do Sul e .

Crianças de zero a 9 anos correspondem a 50% dos casos, enquanto 30% estão nas pessoas acima de 60 anos. Não há nenhuma no Estado em 2023, em decorrência de SRAG. Entre os casos hospitalizados, 45,7% são Covid-19, 21%vírus sincicial respiratório e 20% rinovírus.

Campo Grande vive ‘surto’ de doenças em crianças

De acordo com a (Secretaria Municipal de Saúde), nos últimos 15 dias, houve aumento de 30% na demanda por atendimento nos postos de saúde de Campo Grande. A volta das aulas é o que explica o pico nos atendimentos.

A superlotação, com horas e horas de espera, se tornou rotina diária em unidades de saúde pública de Campo Grande, mas não se resume a elas. O cenário é parecido em hospitais particulares, que também vivem dias de superlotação, principalmente na ala pediátrica.

De acordo com a superintendente de Vigilância em Saúde de Campo Grande, Veruska Lahdo somente na semana passada, 53 crianças de zero a nove anos estavam internadas em decorrência da SRAG. Várias outras crianças aguardam em Upas, por uma vaga em hospital.

MS vai antecipar vacinação de influenza

A SES (Secretaria de Estado de Saúde) informou nesta terça-feira (28) que vai antecipar o início da vacinação contra a gripe em Mato Grosso do Sul. Oficialmente, a campanha começaria no dia 10 de abril, no entanto, o aumento de casos de SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave) no Estado foi determinante para o adiantamento. 

Ao todo, Mato Grosso do Sul recebeu o primeiro lote com 92 mil vacinas, que já começaram a ser distribuídas aos 79 municípios. A aplicação está autorizada para todos os públicos. 

“A decisão de fazer a entrega destes imunizantes é em razão da chegada do outono e também devido ao aumento de casos de SRAG – doenças respiratórias. Por isso, resolvemos antecipar a vacinação em nosso Estado”, pontuou a coordenadora estadual de Vigilância Epidemiológica da SES, Ana Paula Rezende de Oliveira Goldfinger.

Saiba Mais