Em espera por definição de reajuste salarial, os motoristas do transporte público de Campo Grande podem entrar em greve na próxima semana. O STTCU (Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Coletivo Urbano) aguarda resposta do Consórcio Guaicurus para definir sobre paralisação a partir de quarta-feira (18).

Conforme o presidente do sindicato, Demétrio Freitas, um ofício foi encaminhado à empresa para que um posicionamento sobre o reajuste seja dado até terça-feira (17). No dia 29 de dezembro, a categoria tinha reunião com o Consórcio para definir o reajuste, mas empresários pediram prazo para nova reunião.

“Eles tinham pedido um prazo para tentar resolver a demanda deles com a prefeitura e hoje encaminhei o ofício dando um prazo para resolver até terça, dia 17. Esse é o tempo máximo. Após isso, vamos tomar as medidas que acharmos que devemos tomar”, afirmou à reportagem.

Sobre possibilidade de greve caso não se chegue a um acordo, Freitas disse que há chance dos motoristas cruzarem os braços a partir do prazo estabelecido ao Consórcio.

“[A greve] é uma ferramenta que temos para pressionar. Se for preciso usar, vamos usar. Não vamos dar mais prazo, o que tinha que acontecer já aconteceu. Sei que atrapalha muita gente, mas se nada tiver definido até terça, vamos usar essa ferramenta”, afirmou.

Negociação de reajuste

Há cerca de um mês os motoristas estão em diálogo com a empresa detentora do transporte público de Campo Grande. Eles pedem reajuste de 16%, mas empresários ofereceram 6,4%.

Desde 22 de dezembro, motoristas alertam sobre a paralisação. Então, neste dia o Consórcio afirmou que a formalização de acordo de reajuste salarial com os trabalhadores passa pela definição da prefeitura a respeito do reajuste tarifário.

Em reunião da empresa com a categoria no dia 27 de dezembro, foi proposto aos motoristas um reajuste de 6,4%, mas o sindicato rejeitou inicialmente a proposta. Um novo encontro foi marcado para o dia 29 de dezembro, mas adiado após pedido do Consórcio.

Desde então, não foi definida nova data de reunião.

Concessionária quer passagem a R$ 8

Anualmente avaliado em novembro, o Consórcio Guaicurus considera que o reajuste da passagem do transporte público de Campo Grande pode chegar a R$ 8. Atualmente, a tarifa custa R$ 4,40 aos passageiros, mas, de acordo com o diretor-executivo do consórcio, Robson Strengari, o novo preço considera diversos fatores, como a alta do combustível e INPC (Índice Nacional de Preço ao Consumidor).

“O estudo ainda não foi concluído e a Agereg que decide, mas o reajuste chega em torno de R$ 8. Ainda temos nesse mês a negociação de reajuste salarial de funcionários, temos assuntos em andamento para mudanças”, afirma.