Após três dias de paralisação, os servidores da Educação da Rede Municipal de Corumbá, cidade localizada a 417 km de Campo Grande, retornaram as atividades normalmente nesta quinta-feira (26).

Segundo o Gabriel Omar, presidente do Simted (Sindicato dos Trabalhadores da Educação) recebeu a confirmação da prefeitura do envio do ofício para a Câmara sobre o reajuste salarial do magistério.

“Recebemos a pouco o ofício que estávamos aguardando, confirmando o envio do reajuste do magistério. Tivemos o retorno sobre o documento, e também o envio do texto que ressalta o compromisso da prefeitura com os planos de cargo e de carreira dos administrativos da educação”, disse.

O presidente ainda esclareceu para a equipe do Jornal Midiamax que no ofício sobre os planos de cargos e carreiras dos administrativos da educação, a prefeitura terá até o dia 24 de novembro para apresentar um estudo de como será realizado na prática.

Diante desse cenário, a classe recuou sobre a greve anunciada para próxima semana.

Proposta

Conforme a prefeitura, foi proposta a incorporação dos 4,18% do abono já no salário de janeiro de 2024 e em maio a reposição da inflação conforme o IPCA – no limite de 4% – e um reajuste de mais 3,3% para os Profissionais de Educação.

O mesmo (reposição da inflação no teto de 4% e mais um incremente de 3,3%) também ocorreria em maio de 2025 e maio de 2026.

Quanto ao PCC dos Administrativos, a comissão mista formada para discutir o tema volta a se reunir na tarde desta terça-feira (24) para dar continuidade à elaboração da minuta. O objetivo da Prefeitura é implementar o PCC em 2024.