O terceiro caso de raiva em morcegos de foi confirmado pela prefeitura na região central. Para evitar possível proliferação da doença, na segunda-feira (20) o CCZ (Centro do Controle de Controle de Zoonoses) fará uma ação de vacinação em animais e orientação de moradores.

O primeiro caso de morcego positivo para a doença foi registrado no mês de fevereiro no Jardim Centro-Oeste e o segundo no começo de março no Bairro Tijuca. Nos dois casos, houve a chamada ação de bloqueio na região.

Na próxima semana, os agentes vão percorrer ruas do Centro, São Francisco e Cruzeiro, onde o animal foi encontrado. O morcego estava vivo e foi recolhido pelo órgão, após acionamento da moradora.

Mantenha vacinação em dia

A médica veterinária do CCZ, Maria Aparecida Conche Cunha, reforça a importância de receber os agentes e manter a vacinação dos animais para evitar a doença.

“A vacinação é a única forma de proteção contra a doença. Incurável nos animais e fatal em 100% dos casos, a doença é uma zoonose e, portanto, também pode afetar os seres humanos. A raiva é letal aos humanos e o vírus pode ser transmitido a partir da mordida, lambidas ou machucados causados por mamíferos contaminados, incluindo morcegos, cães e gatos”, disse.

No ano passado, foram registrados dois casos. O último caso de raiva humana no município foi registrado em 1968. Já em cães e gatos, o último surto ocorreu 1988. Após 23 anos, ocorreu um caso isolado em 2011 de raiva canina, cujo cão adquirira a doença por meio do contato com um morcego contaminado com o vírus.

Os números do CCZ para contato são (67) 3313-5000 ou 3313-5001. Para atender esses tipos de situação, a unidade está aberta todos os dias até às 21h.