A Justiça Federal de Naviraí, cidade localizada 364 km de Campo Grande, após pedido da Funai (Fundação Nacional dos Povos Indígenas) suspendeu nesta quinta-feira (9), a ordem de reintegração de posse da área da retomada pelos indígenas, na Fazenda Esperança, localizada no km 148 da BR-163.

Uma audiência de reconciliação foi marcada para o dia 14 de novembro. O juiz indicou que a audiência de conciliação ocorra no local da ocupação, mas não havendo possibilidade de o efetivo policial garantir a segurança de todos os participantes da audiência, a audiência será realizada na sede deste juízo Federal de forma presencial.

Ordem Judicial

Segundo informações divulgadas pelo Cimi (Conselho Indigenista Missionário), entrega da ordem judicial foi acompanhada por um número desproporcional e ostensivo de policiais e intimidou mulheres e crianças da comunidade.

“O oficial de justiça chegou juntamente com a Polícia Federal, a Força Nacional e teve lá a Polícia Militar. Os fazendeiros também estavam no dia [da entrega da ordem judicial]”, conta um membro da comunidade, de acordo com nota do Cimi.

A autorização do uso de forças policiais na reintegração de posse preocupa a comunidade, segundo o Cimi. “A truculência e a ilegalidade da Polícia Militar e da Força Nacional são velhas conhecidas das famílias de Santiago Kue e demais comunidades indígenas do Mato Grosso do Sul”, afirma um texto publicado na página do conselho.