A prefeita Adriane Lopes (PP) disse à reportagem do Jornal Midiamax que a força-tarefa que envolve todas as secretarias municipais de Campo Grande seguirá com os trabalhos de recuperação dos estragos da chuva durante o fim de semana.

Conforme Adriane, duas escolas municipais ficaram danificadas durante o temporal – sendo que uma servidora ficou com braço arranhado após telhado despencar -, houve destelhamento de casas de 70 famílias na Homex. Além disso, seis postos de saúde foram afetados e outras duas unidades da Secretaria de Assistência Social também registraram prejuízos.

“Vamos continuar com os trabalhos no fim de semana, na segunda-feira várias escolas que foram atingidas, que não foi grave, devem retomar as aulas”, informou a prefeita, ressaltando que, em alguns casos, os trabalhos já foram iniciados nesta sexta-feira (20).

No entanto, as equipes ainda estão percorrendo todas as regiões de Campo Grande e ainda não há uma estimativa do valor do prejuízo. “Ainda não temos um levantamento exato porque estamos percorrendo as regiões, enquanto o secretário de educação está em outra região para avaliar os danos. Em todas que passei as aulas serão retomadas segunda-feira se não chover”, detalhou Adriane.

“A situação na Homex está tranquila, foi mais destelhamento, não houve feridos, as equipes do FAC (Fundo de Apoio à Comunidade) estão prestando suporte lá, atendemos 70 famílias pela manhã”, disse a prefeita, que esteve no local distribuindo lonas para que os moradores pudessem reparar os barracos.

Já em relação aos postos de saúde, Adriane Lopes enfatiza que foram só reparos materiais – e não estruturais – a serem realizados. “Nas unidades de saúde eu conversei com o secretário por telefone, porque todos os secretários estão em ação, mas está tudo tranquilo, só reparos materiais”.

Já no cemitério Santo Amaro, a forte chuva com o vento intenso derrubaram cerca de 500 metros de muro. Adriane Lopes avalia que o reparo não deve ser concluído em 15 dias, mas que as obras começam na segunda-feira (23).

O maior número de ocorrências e que teve prioridade nos casos de obstrução de vias foi o de queda de árvore. Foram 140 solicitações no total, conforme a Defesa Civil.

Temporal e tornado ‘fake’ deixam rastro de destruição em Campo Grande

Muitas árvores caídas, semáforos desligados, fios elétricos partidos, tapumes e placas no meio de ruas. Esse foi o cenário caótico que a região central de Campo Grande ficou após um temporal acompanhado de fenômeno meteorológico chamado tromba d’água com rajadas de vento que chegaram a 80 km/h, segundo a Defesa Civil. O fenômeno se assemelha a um tornado, porém, são iguais somente no formato.

Vários bairros ficaram sem energia com a chuva torrencial da noite desta quinta, como Jardim dos Estados, Chácara Cachoeira, Tiradentes, residencial Dhama e Monte Castelo. A Energisa informou que “as equipes estão trabalhando de forma ininterrupta”.

No Jardim dos Estados, o estrago foi intenso. Árvore caiu na Rua Bahia, quase com a Afonso Pena, na 15 de novembro também. Na Avenida Fernando Correa da Costa, ainda na altura do bairro, até uma placa foi parar no meio da via. Tapumes de obra de um edifício também caíram.