Os moradores da ocupação da , em , se arriscam, nesta quarta-feira (1º), em uma verdadeira “cama de gato” formada por fios de energia caídos pelas ruas e poças gigantes que cobrem quase metade das vias. O cenário é resultado das fortes chuvas que caíram na Capital na tarde de terça-feira (28).

Além disso, quem tem poucos bens ainda viu a casa ser destelhada, postes de energia tombando em cima das residências e a comida em casa estragar após horas sem energia elétrica. 

As ruas da ocupação irregular estão cheias de crateras tomadas por água e galhos de árvores que arrebentaram com a chuva que iniciou na região por volta das 16h. 

Sem uso de equipamentos de segurança e conhecimento técnico para saber quais equipamentos estão energizados, os moradores se juntam em grupos e se arriscam para retirar das ruas os fios de energia elétrica que caíram dos postes. 

A concessionária esteve no local ainda ontem, mas os moradores contaram que apenas os postes foram retirados. 

Postes de energia elétrica caíram em cima dos muros. (Foto por Henrique Arakaki/Jornal Midiamax)

Fábio Gonçalves, de 46 anos, conta que ouviu uma explosão quando o poste caiu perto de casa. “A maioria dos moradores não conseguiu dormir sem luz e as casas destruídas”, lamenta o homem. 

Outro morador relembra que apenas 10 minutos foram suficientes para destruir o bairro. “Se não for a gente, ninguém vai fazer”, se queixa.

Prejuízos dentro das casas

Além dos problemas pelas ruas, os moradores apontam prejuízos nas residências. Uma mulher de 46 anos, que preferiu não se identificar, teve a casa totalmente destruída. O telhado da sala e do quarto foi arrancado e parte da estrutura parou em uma árvore. 

Mesmo sem luz e com uma parte da casa sem telhado, ela dormiu na casa e hoje trabalha na retirada de entulhos. 

Casas ficaram tomadas por água. (Foto: Henrique Arakaki/Jornal Midiamax)

O trabalhador em serviços gerais, Wellington de Souza Xavier, 38 anos, contou à reportagem enquanto segurava um rolo de fios nos braços que perdeu toda a comida que estava dentro da geladeira após horas sem energia. 

“Quem tem não tem como esperar. Estamos desde as 16h sem luz, sem assistência de ninguém. Não vimos Prefeitura, só veio o Corpo de Bombeiros e uma viatura do Samu porque a fiação caiu em cima da casa. Eles vieram por prevenção, mas por sorte ninguém se machucou”, afirmou o morador. 

José Antônio Gomes, de 56 anos, iria se mudar hoje para o local, mas precisou adiar os planos após um poste ter caído sobre o muro da casa. “Fiquei sabendo ontem da ventania e vim hoje com a minha família tentar arrumar”, relata. 

Telhado de casa foi parar em árvore. (Foto: Henrique Arakaki/Jornal Midiamax)

Já Mileyde Aparecida da Silva Rosa, de 45 anos, tem um bebê de sete meses e conta que o carro da família foi esmagado por um poste de energia que caiu sobre o veículo. “Mesmo sendo antigo, era o que nos ajudava”, ela lamenta. 

Além disso, ela tenta arrumar o quintal cheio de fios de energia e contabiliza prejuízos no muro da casa que também foi destruído.

“Eu moro aqui há cinco anos. O susto foi grande, mas graças a Deus caiu [poste de energia], mas não machucou ninguém. Eu até ia fazer compras ontem, mas teria perdido tudo”, ela avalia. 

Moradores precisam ‘driblar’ poças de água. (Foto: Henrique Arakaki/Jornal Midiamax)

O que diz a Prefeitura e Energisa?

O Midiamax entrou em contato com a Prefeitura para perguntar se já tem ciência dos problemas na Homex causados pelo temporal e se há algum plano para ajudar a população e aguarda resposta. O espaço continua aberto para manifestação. 

A concessionária de energia Energisa informou que foi identificado, de forma preliminar, que a causa da queda dos postes é excesso de ligações clandestinas. O terreno invadido é uma área privada em discussão judicial, o que impede sua regularização.

“Equipes da concessionária estão no local para fazer a retirada dos postes por questões de segurança. Clientes que estiverem regularizados, terão o fornecimento de energia restabelecido. A concessionária alerta que a ocupação no terreno irregular provoca sobrecarga na rede e danos nos equipamentos. As ligações clandestinas de energia oferecem riscos à população, podendo ocasionar acidentes com mortes, incêndios, choques elétricos e curto-circuito”.

Poucos minutos de chuva e vento destruíram a ocupação. (Foto: Henrique Arakaki/Jornal Midiamax)
Moradores recolhem fios de energia elétrica pelo bairro. (Foto: Henrique Arakaki/Jornal Midiamax)

*Material atualizado para acréscimo de informação às 11h05.