A Defensoria de Mato Grosso do Sul e realizam atendimentos a imigrantes em , cidade a 432 quilômetros de Campo Grande. Segundo a defensoria, um mês após de atendimento a venezuelanos que vivem em Cassilândia foi realizado análise prévia de documentações para auxiliar na regularização da situação no Brasil.

De acordo com o defensor público Giuliano Stefan Ramalho de Sena Rosa explica que solicitou a ajuda da Polícia Federal, via ofício, devido as dificuldades dos imigrantes com o deslocamento para . Dois agentes da PF se deslocaram até a unidade da Defensoria Pública de Cassilândia e atenderam 28 imigrantes.

“No mutirão do dia 15 de setembro percebemos que o deslocamento é a maior dificuldade deles, tendo em vista, o risco de não ser atendido por falta de documentação específica. No último dia 23 de outubro, fizemos os atendimentos na Defensoria e a Secretaria de Assistência Social levou os imigrantes, em um ônibus, para o posto da PF que funciona no de Três Lagoas. O atendimento prévio evitou transtornos e garantiu que ninguém deixasse de ser atendido”, pontua o defensor.

Segundo o defensor deverão ocorrer outras quatro rodadas de atendimento. “O atendimento é demorado e complicado, mas com a assistência prévia, o atendimento em Três Lagoas é mais rápido e mais imigrantes são atendidos”, finaliza o defensor.