Moradores de , a 97 quilômetros de Campo Grande, estão em alerta após encontrar escorpiões da espécie Tityus serrulatus, conhecida popularmente como escorpião amarelo. Uma de cinco anos, moradora do Parque Estoril, foi internada após ser picada pelo animal peçonhento.

Na última terça-feira (15), o menino estava se arrumando para ir à escola, quando foi picado ao colocar o sapato. Segundo o Notícias do Cerrado, a criança foi levada para o Hospital Municipal Dr. José Maria Marques Domingues, mas foi transferida para o de , em Campo Grande, diante da gravidade.

A reportagem entrou em contato com a assessoria do hospital para atualização do estado de saúde da criança e aguarda um posicionamento.

Incidência em MS

No ano passado, duas crianças, uma menina de três anos e um garoto de sete, de Paranaíba e Cassilândia, morreram por picada do animal peçonhento. A incidência pode ter influência com o clima úmido e calor intenso.

O biólogo Isaías Pinheiro explica a predominância de três espécies no Estado: a Tityus serrulatus, que é o escorpião amarelo, com a cauda com serras, mais grossa. O Tityus confluens, que tem de 4 a 6 cm de comprimento, colorido geral amarelo-escuro, pernas e palpos sem manchas e tronco escuro, porém muito semelhante ao Tityus serrulatus, mas sem serrilha na cauda. E o Tityus bahiensis, que tem o tronco escuro, pernas e palpos com manchas escuras e cauda marrom-avermelhada; ele não possui serrilha na cauda e o adulto mede cerca de 7 cm.

O ataque de escorpião a duas crianças em um curto espaço de tempo reacendeu um grave alerta para as picadas desse animal, que podem levar a morte. Em caso de acidente, o paciente deve ser levado para tratamento imediato. Porém, em Mato Grosso do Sul nem todas as cidades disponibilizam do soro antiescorpiônico.