Maracaju, município localizado a 159 km de Campo Grande, tem como estrela a linguiça típica da região. Uma iguaria de 31 metros esteve até no Guinness Book, de 1997, como a maior linguiça já fabricada na época. 

O produto é tão querido pelos maracajuenses que tem até estátua na cidade em homenagem.

Além desse destaque, Maracaju também tem o título de décima cidade mais populosa e a sétima que mais cresceu em Mato Grosso do Sul, de acordo com informações do Censo Demográfico 2022, realizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas). 

A cidade ganhou 7.453 moradores nos últimos 12 anos, saindo de 37.405 habitantes em 2010 para 45.047 moradores em 2022. A taxa de crescimento ficou em 19,93%.

Além disso, os dados do IBGE também indicam que foram construídas 6,2 mil residências, já que o número de domicílios recenseados passou de 11.072 para 17.272 e representa aumento de 56%. 

Entre os moradores, a opinião é que a cidade é boa para morar pela tranquilidade e infraestrutura, como boa parte das ruas asfaltadas. Contudo, faltam pontos de lazer para os maracajuenses. 

Izabela Amaral, de 27 anos, conta que o único lugar para se reunir com os amigos é a praça central da cidade. “Aqui não tem nada”, afirma. 

A opinião é compartilhada por Liriane Felini, de 34 anos, que trabalha no ramo de hotelaria e diz que faltam pontos turísticos na cidade. 

Linguiça de Maracaju. (Foto: Governo MS)

“É uma coisa que as pessoas reclamam muito a falta de locais para visitar. A praça central fica superlotada no fim de semana porque tem som alto e aí fica complicado de visitar”, ela diz. 

Liriane conta que os principais eventos da cidade são a Festa da Linguiça, que é comemorada em abril, e a feira agropecuária Showtec, que atraem turistas e movimentam a economia da cidade. “Eu gosto das festas porque movimenta a cidade”, expõe. 

Outro ponto que a mulher acredita que precisa ser melhorado na cidade é a questão de vagas na creche.

“Aqui tem poucas creches, eu ainda tenho condições de pagar uma escola para a minha filha de dois anos estudar, mas a gente vê que tem pessoas que têm dificuldade”, ela aponta. 

Prefeitura diz que pretende ampliar locais de lazer

O Midiamax procurou o prefeito de Maracaju, José Marcos Calderan (PSDB), para perguntar sobre os dados do IBGE e as reclamações apontadas por moradores. 

Calderan afirma que a Prefeitura pediu revisão sobre os dados do Censo Demográfico, mas não conseguiu ser atendida. “Achamos estranho, mas não recorreremos. Já havíamos pedido revisão e disseram que foi feita antes da conclusão”, afirmou.

Contudo, o órgão não tem uma estimativa própria de quantos moradores a cidade tem atualmente, afirma o prefeito. 

O chefe do poder executivo municipal ressaltou que há obras encaminhadas para as áreas de lazer e para atender à demanda das creches.

“Quanto às áreas de lazer, estamos concluindo reforma de dois CEPS e do Parque Ecológico, além da nova praça no distrito de Vista Alegre. Quanto às creches, estamos concluindo projetos de duas novas, uma no bairro BNH, outra no bairro Olídia Rocha.”