Pouco mais de três anos se passaram desde a inauguração da da , em novembro de 2019, e atual falta de manutenção do paisagismo da principal rua comercial de Campo Grande chama a atenção. Os fios de alta tensão e calçadas estreitas deram espaço para plantas e canteiros, que deveriam compor o novo cenário.

Porém, os pedestres e motoristas que agora passam pelo coração do comércio na região central de Campo Grande encontram canteiros vazios, árvores secas e tortas e plantas amareladas. Os galhos de algumas árvores até encostam na fachada das lojas. 

O canteiro do Relógio da 14, no cruzamento com a Avenida Afonso Pena, agora está vazio, com apenas terra no espaço. O visual atual faz um contraste de anos anteriores, que já contou com paisagismo especial para o Natal com plantas rasteiras, palmeiras e arbustos em 2021.

Relógio da 14 já teve até paisagismo especial. (Foto: Nathalia Alcântara/Jornal Midiamax)

O Plano do Reviva Centro contou com a plantação de arbustos, gramas e de 180 árvores de várias espécies, como ipês, árvore da China, aldrago, pau mulato, erva-mate, jacarandá-mimoso, lafontera da Amazônia, fruta-de-tucano e grandiúva.

A (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos), em julho do ano passado, amarrou as árvores em uma estrutura de madeira para sustentar os troncos enquanto crescem. Na época, o órgão afirmou que o procedimento era um manejo de rotina. 

Porém, a medida não foi suficiente para que, em outubro do mesmo ano, quatro árvores caíssem depois de um temporal. Mais recentemente, uma árvore de cinco metros desabou sobre um carro estacionado na Rua 14 de Julho. Atualmente, até saco plástico é usado para amarrar os troncos.

O vendedor ambulante Agmar Alves Batista, de 72 anos, conta que acompanhou toda a transformação do visual da Rua 14 de Julho e faz crítica sobre como foi feito o plantio das árvores, especialmente o espaço pequeno das raízes. 

“Desde que plantaram essas árvores elas estão caindo, não tem manutenção”, ele observa. 

Algumas árvores na 14 de Julho estão secas ou tortas. (Foto: Nathalia Alcântara/Jornal Midiamax)

Já a representante comercial Elizabete Bertolucci, de 63 anos, diz que viaja muito pelo Estado e que veio poucas vezes à região central depois da revitalização. Porém, ela engrossa o coro por mais investimentos na região.

“Aqui o centro está , mas vim aqui esses dias e contei várias lojas fechadas. Isso é muito triste para o comércio”, ela afirma. 

Eliane Amaral chegou de Rondônia há cerca de um mês e conta que achou bonito o visual da Rua 14 de Julho, mas que falta manutenção. “Algumas plantas já precisam de cuidados”, ela opina. 

Árvores são amarradas em estrutura de madeira com saco plástico. (Foto: Nathalia Alcântara/Jornal Midiamax)

O que diz a Prefeitura?

O Midiamax questionou a Prefeitura sobre a manutenção do paisagismo da Rua 14 de Julho desde a última quarta-feira (15), porém até o momento não obteve resposta. 

Saiba Mais