A sexta-feira (22) é oficialmente o dia mais quente de 2023, até agora. Sete municípios registram temperatura máxima acima dos 40°C e com recorde de calor neste ano, segundo dados do Cemtec/MS. está no epicentro de uma onda de calor que atinge todo o país nesta semana, com previsão de pico de calor no .

Estações meteorológicas do (Instituto Nacional de Meteorologia) registraram as maiores temperaturas às 14h, quando o calor passou de 40°C em sete cidades de Mato Grosso do Sul. Em , a máxima foi de 37,6°C, recorde para o ano e um grau a mais que a máxima de quinta-feira (21).

Cidades com temperatura acima de 40°C nesta sexta-feira (22):

  • Porto Murtinho 41,5°C
  • Água Clara 41,2°C
  • Três Lagoas 40,4°C
  • Paranaíba 40,4°C
  • Pedro Gomes 40,1°C
  • Coxim 40,8°C
  • Bataguassu 40°C

Conforme dados do Cemtec/MS, o calor registrado nesta sexta-feira (22) foi recorde em todas as cidades de Mato Grosso do Sul para o ano, com exceção para Pedro Gomes, que no dia 17 de setembro registrou 40,7°C.

Previsão é de 43°C no fim de semana em MS

A onda de calor formada por um bloqueio atmosférico aliado ao fenômeno El Niño deve ganhar ainda mais força no fim de semana. De acordo com o Cemtec/MS, a previsão aponta para temperaturas máximas entre 40°C e 43°C

Para piorar a situação, aliado a previsão de calor intenso, é esperado temperatura do ar em níveis muito baixos, em torno de entre 10% e 20%. A onda de calor deve perder força só na segunda-feira (25), mas não há previsão de novas frentes frias.

A primavera começa oficialmente no sábado, 23 de setembro. De acordo com o Cemtec/MS, entre os dias 21 de setembro e 7 de outubro de 202 são previstos acumulados de chuvas de até 100 mm, com os maiores acumulados previstos para as regiões leste, sudeste e nordeste do estado de Mato Grosso do Sul.

Redobre cuidados com a saúde

Manter a hidratação é a principal recomendação da OMS (Organização Mundial da Saúde). A nutricionista Jackeline Stacy de Alcântara explica que nos períodos de altas temperaturas o corpo segue a natureza de tentar regular a temperatura, sendo assim, esse processo exige mais do metabolismo, que precisa eliminar mais água para o controle.

A alimentação influencia na maneira positiva ou negativa, a desregulação do hábito saudável acarreta episódios de má digestão, desidratação e sobrecarga renal.

“O ideal seria focar na hidratação, tomar bastante água e não vale o tereré, sucos de preferência da fruta, chás gelados, mas evitando os diuréticos, como o hibisco, chá-verde, cavalinha, etc., frutas com bastante teor de água também são ótimas, por exemplo, a melancia, melão, laranja e abacaxi. Aumentar o consumo de legumes e verduras é importante também porque são alimentos fontes de alguns minerais que perdemos com o excesso de transpiração, além de facilitar a digestão”.