Depois de muitos anos considerada um elefante branco em , a estrutura do Bioparque do Pantanal, antigo , finalmente abriu as portas em 28 de março de 2022, 11 anos depois do início das obras. Durante o primeiro ano de funcionamento, o complexo já foi visitado por mais de 300 mil pessoas, muitas delas de outros países, abriga inúmeras espécies de animais característicos de Mato Grosso do Sul e já faz parte da história de muitos moradores e turistas. Até agora, não há previsão para o início da cobrança de ingresso.

Localizada nos altos da avenida Afonso Pena, dentro do Parque das Nações Indígenas, a estrutura desenhada pelo arquiteto Ruy Ohtake se destaca na paisagem por sua exuberância e grandiosidade. Além de receber visitantes ao longo do dia, espaço serve para eventos, conferências e pesquisas científicas.

Vale lembrar que os primeiros visitantes do Bioparque foram os alunos das escolas e convidados. Assim, a abertura ao público geral ocorreu em 2 de maio de 2022. Segundo o espaço, mais de 300 mil pessoas já visitaram o complexo desde então. “O período que mais recebemos visitantes foi durante as de final de ano e feriado”, afirma a comunicação do ponto turístico.

Bioparque Pantanal
(Foto: Henrique Arakaki)

Sem previsão de cobrança

Há um ano em funcionamento, o Bioparque Pantanal ainda não é administrado por uma empresa contratada. Por ora, o Governo do Estado assume a gestão do espaço enquanto licitação não é lançada para administração do parque.

Empresa contratada através de um certame pelo ex-governador André Puccinelli, antes do Bioparque ficar pronto, a Cataratas desistiu de administrar o ponto turístico pouco antes da inauguração, em 2022. Foi quando o Governo de Mato Grosso do Sul assumiu a função temporariamente.

Apesar das tratativas realizadas, o Grupo Cataratas comunicou oficialmente a desistência amigável do processo de parceria. “O contrato no modelo de PPP permite um distrato amigável. Houve um posicionamento da empresa, reforçando que o Aquário do Pantanal é o maior aquário de água doce e apresenta condições extremamente adequadas sob o ponto de vista de atratividade como destino turístico. Porém, neste momento, houve um reposicionamento estratégico do Grupo Cataratas”, afirmou Verruck na época.

Questionado novamente, o Bioparque afirmou que “essa questão está sendo avaliada pela SEGOV”. Portanto, a entrada segue gratuita e ainda não há previsão de cobrança para entrar no local, que tem capacidade para receber duas mil pessoas por dia, sendo mil por agendamento e o restante por cadastro presencial.

Para os visitantes, a espera para entrar vale a pena, principalmente para ver os animais característicos da fauna sul-mato-grossense. Atualmente, local conta com duas equipes para manejo e Sistema de Suporte a Vida (SSV).

Animais são astros no Bioparque

O Bioparque Pantanal conta com cerca de 40 mil animais atualmente, sendo 355 espécies de peixes, duas espécies de répteis e uma espécie de anfíbio. Durante os 12 meses de abertura, tiveram aqueles animais que conquistaram a preferência do público e se tornaram verdadeiros ‘astros' no aquário, como a sucuri Gaby, os axolotes, jacarés, o Jaú apelidado de Maria Fernanda, as arraias Jussara e Jurema e o pintado Adriano.

O nome de Gaby, inclusive, foi definido por votação popular. Pelo fato da sucuri ter vindo do Pará, a administração do Bioparque Pantanal deu duas opções para a escolha do povo, em referência a duas famosas cantoras do Estado de origem da cobra: Fafá de Belém e Gaby Amarantos, sendo a segunda a escolhida.

Já os axolotes, conhecidos como ‘monstrinhos mexicanos', não fazem parte da fauna pantaneira, mas ganharam o coração dos visitantes.

Vale lembrar ainda que a arraia Jussara foi a primeira a repercutir por encantar a população com o seu sincero sorriso no rosto. Confira:

Primeira vez no Bioparque Pantanal, Cledenir Gonçalves, dona de casa, conheceu o complexo na segunda-feira (27), na véspera do seu aniversário de abertura. Ela contou à equipe que ficou apaixonada pelos animais. Moradora de Ponta Porã, ela tentou visitar o ponto turístico na abertura, mas não conseguiu por superlotação.

Bioparque do Pantanal
Cledenir visitou aquário com a família (Foto: Henrique Arakaki/Jornal Midiamax)

Dessa vez, ela agendou sua visita e afirma ter valido a pena. “Eu estou a passeio aqui em Campo Grande, é a primeira vez que entrei no aquário. Eu fiz agendamento e fiquei uns 40 minutos na fila para entrar. Valeu muito a pena, é muito lindo e maravilhoso. Os animais que mais gostei de conhecer foram os peixes porque eu amo os Betas. Mas todos os bichos são lindos, foi uma experiência incrível”, celebra.

Atualmente, local conta com duas equipes para manejo e Sistema de Suporte a Vida (SSV) das espécies.

Turistas de todo o Brasil e mundo

Não são apenas os sul-mato-grossenses que ficaram ansiosos para conhecer o Bioparque Pantanal, afinal, espaço atiça a curiosidade de outros Estados e países.

O ponto turístico já recebeu visitantes de mais de 70 países, como do Sul, Alemanha, Argentina, Austrália, Áustria, Bahamas, Bélgica, Bolívia, Brunei, Burundi, Cabo Verde, Camarias, Camarões, Canadá, Chile, Chipre, Cingapura, China, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Dinamarca, El Salvador, Emirados Árabes, Equador, Espanha, Estônia, Estados Unidos, Finlândia, França, Grã-Betanha, Guatemala, Jordânia, Nigéria, México, Taiwan, Iraque, Libéria, Haiti, Holanda, Honduras, Ilhas Virgens, Índia, Inglaterra, Iêmen, Irã, Irlanda, Israel, Itália, Japão, Luxemburgo, Moçambique, Nova Zelândia, Noruega, Paquistão, Paraguai, Peru, Polônia, Portugal, Qatar, República Tcheca, Suécia, Rússia, Suíça, Uruguai, Venezuela, Eslováquia, Indonésia, Tailândia, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Síria, Marrocos, Ucrânia e Líbano.

Durante a visita do Jornal Midiamax, ao menos duas famílias do Estado de estiveram no espaço. Uma, vinda de Araçatuba a passeio, não conseguiu entrar porque não havia realizado o cadastro, mas tentará uma próxima oportunidade.

Bioparque do Pantanal
Paulista conhece Bioparque do Pantanal (Foto: Henrique Arakaki/Jornal Midiamax)

Já uma outra mulher, também da região paulista, adorou conhecer as espécies nativas de MS. “É sempre uma novidade ver as espécies daqui porque não temos acesso por lá, é muito bacana e bonito. É a primeira vez que viemos aqui a turismo e fiquei muito feliz de visitar”, diz.

Principais ações em um ano

O Bioparque do Pantanal foi palco de vários eventos e ações ao longo de um ano. Dentre as que mais chamaram atenção, impossível esquecer a apresentação cênica e de dança para lançar oficialmente o nome da sucuri “Gaby”.

Local também recebeu a Exposição Itinerante dos Povos Originários, com representação das 8 etnias em artesanato; Festa junina; Apresentações musicais; Atividades lúdicas para os visitantes; Exposição de capoeira e contação de histórias no Dia da Consciência Negra; Mostra de Artes “Pulsar do Pantanal”; Mostra de Dança Fernão Capelo “Gaivota”; Projeto Contação de Histórias; Exposição “Gigantes do Passado”; Ação ‘Seleção Bioparque' alusiva à Copa do Mundo e Apresentação da Orquestra Indígena.

Conforme o Bioparque Pantanal, também foram realizadas ações em alusão a várias datas comemorativas e foram implementados projetos de inclusão e acessibilidade, como Projeto Bioparque para todos – Iguais na diferença.

Bioparque Pantanal
(Foto: Madu Livramento/Jornal Midiamax)

“Consolidamos o Bioparque como um centro de pesquisa com Núcleo de Pesquisa e Tecnologias do Bioparque Pantanal (NUPTEC) e firmamos parcerias técnico-científicas com universidades nacionais e internacionais. Ampliamos o número de vagas para visitantes de 600 para 2.000 pessoas/dia, incluímos o agendamento presencial, promovemos a educação ambiental com escolas, reproduzimos espécies (entre elas uma ameaçada de extinção, o Cascudo viola)”, afirma.  

Porém, as histórias envolvendo o Bioparque vão para além das paredes que abrigam o aquário. Do lado de fora, outra personalidade também faz sucesso e já faz parte da história de lá: o velho do Rio.

O Velho do Rio que sonha passear de Chalana

Já viu ele na cidade? Campo Grande tem o próprio Velho do Rio e ele fica em frente ao Bioparque Pantanal para tirar foto com os turistas de forma gratuita. À equipe de reportagem, ele afirma comparecer religiosamente ao aquário todos os dias de manhã com trajes característicos do personagem da Novela Pantanal para levar alegria às pessoas.

Bioparque do Pantanal
Velho do Rio do Bioparque Pantanal (Foto: Henrique Arakaki/Jornal Midiamax)

Por trás do personagem, está Antônio Alberto Teruel, irmão do ex-político Pedro Teruel (PT). Aos 76 anos de idade, divide a rotina entre o personagem e fazer poesia.

“Com a novela Pantanal, eu pensei que precisaria ter um representante do Pantanal aqui. Eu comecei a vir aqui [Bioparque] a partir de 10 de outubro. De lá para cá eu venho toda manhã. Com chuva ou sol quente, o Velho do Rio está aqui presente”.

Basta chegar a alguns metros da entrada para se deparar com a personalidade trajada de chapéu de palha, manta de couro e o famoso cajado. Segundo o nosso Velho do Rio, toda essa brincadeira é para divulgar as belezas do Pantanal, apesar de nunca ter, de fato, visitado a região.

Não foi à toa que ele entrou no Bioparque sete vezes. “Eu entrava para tirar foto ao lado da Juma [onça-pintada] empalhada que tem lá dentro, mas a criançada que entrava para visitar o Bioparque ficava só ali comigo e com a Juma e deixava de ver o resto”, recorda ele.

Durante nosso papo, Antônio mostra ser uma pessoa de muito bom humor e diz que o próximo passo é visitar o Pantanal e, claro, passear de chalana.

Visitas e agendamentos

Os primeiros meses do Bioparque Pantanal foram marcados por superlotação e grandes filas de espera. Para resolver o problema da alta demanda não atendida, o ponto turístico passou a distribuir senhas além do agendamento, entregues para os visitantes por ordem de chegada.

Dessa forma, o agendamento é aberto toda segunda-feira, às 8h (Horário de MS), no site oficial para visitas na semana subsequente. O cadastro prévio é destinado para visita individual, grupo familiar (até 6 pessoas), empresas e instituições. 

Crianças com dois anos completos precisam estar agendadas para a visita, sendo necessário o CPF do menor. Não será aceito o cadastro da criança no CPF do responsável.

Cadastro presencial

O Bioparque Pantanal disponibiliza vagas diárias e limitadas para visitas sem agendamento. O cadastro é realizado no local, por ordem de chegada. É necessário apresentar a documentação de todos, inclusive menores de idade.

A quantidade de vagas também varia conforme o dia:

  • Segunda e quarta-feira: 200 vagas a partir das 9h30h e 300 vagas a partir das 15h
  • Terça, quinta e sexta-feira: 400 vagas a partir das 8h e 600 a partir das 13h30
  • Sábado: 500 vagas a partir das 8h

Importante destacar, ainda, que existe a opção de visita guiada e autoguiada, bem como cotas para pessoas idosas e com deficiência.

Bioparque
(Foto: Henrique Arakaki/Jornal Midiamax)

Celebrações de 1 ano de Bioparque

O Bioparque Pantanal celebra um ano de funcionamento na próxima terça-feira (28). Dessa forma, espaço realiza a I Jornada de Pesquisa e Tecnologia entre os dias 28 e 31 de março com a temática Sustentáveis, sociais, educacionais e inovação”.

A programação contará com atividades culturais, exposições, inaugurações, lançamento, mesas-redondas, minicursos, palestras, painéis e oficinas. Além disso, o evento trará apresentação de trabalhos e os avanços tecnológicos dos projetos de pesquisa desenvolvidos por colaboradores, pesquisadores e instituições científica/tecnológicas, e, diversas áreas do conhecimento.

Durante a realização do evento, serão inaugurados novos espaços voltados à pesquisa e ao desenvolvimento tecnológico dentro do complexo do Bioparque Pantanal, sendo eles o CCPN (Centro de Conservação de Peixes Neotropicais) e o Circuito Sustentável de Aquaponia. A programação também conta com o lançamento do Alfabeto do Clubinho Pantaneiros, voltado para Educação Ambiental.

O público inscrito ainda participa de uma palestra com o arquiteto Rodrigo Ohtake, filho do arquiteto projetista do empreendimento, no dia 28 de março, pela manhã. Representantes dos maiores e mais renomados aquários do Brasil também estão confirmados.

Visitação durante evento

Em razão das ações comemorativas, as visitas durante o período de 28 a 31 de março serão exclusivamente por meio de agendamento prévio pelo site oficial do complexo e destinadas a instituições, com exceção do dia 30 (quinta-feira), que o local receberá o público-geral, também por agendamento. A direção ressalta que nesses dias não haverá vagas para cadastro local.

As inscrições para o evento são gratuitas e podem ser feitas através do catálogo de cursos da EscolaGov pelo link. A carga horária será de 30 horas, com certificado.