A Prefeitura de Bataguassu, a 310 quilômetros de , contabiliza o prejuízo após o rastro de destruição pela força do vento, na tarde de domingo (1°). Rajadas de vento podem ter alcançado quase 100 km/h em apenas 10 minutos.

Segundo a assessoria de imprensa, o temporal atingiu várias regiões, principalmente o bairro Jardim Santa Rosa. Equipes municipais realizam nesta manhã o monitoramento e limpeza, com levantamento do total de danos.

Apesar do susto, o município informou que não há desabrigados. Os maiores prejuízos foram quedas de árvores, destelhamento de uma casa e a destruição do barração.

Barracão destruído (Cenário MS)

Ventos a 100 km/h e chuva de granizo

O meteorologista do (Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima), Vinícius Sperling, explica que o valor de 53 km/h captado na estação durante a tempestade, não representa o número real da força do vento, pois a estação fica ao lado sudoeste de Bataguassu e a rajada atingiu amplitude ao lado norte, nordeste e noroeste.

“A tempestade não passou em cima da estação, que marcou ventos de 53 km/h, ou seja, a bordinha da tempestade. Pelos estragos que estamos avaliando, esperamos algo em torno de 90 a 100 km/h, porque teve com destelhamento em infraestruturas. Os dados da estação não é representativo da tempestade, porque passou ‘raspando’, foi uma tempestade bem localizada, teve um deslocamento muito rápido”, explica.

Ainda segundo o especialista, o monitoramento mostra que a avanço da tempestade às 13h40 e cerca de 20 minutos depois o rastro de destruição. A cidade registrou 26,8 milímetros de chuva acumulada no fim de semana.

“Típica tempestade isolada, gera pouco acumulado de chuva, porém vem com raios, vento e granizo, e a chuva cai concentrada em poucos minutos. [Com a] temperatura caiu de 31.3°C para 21.6°C”.

Mais chuva

Mato Grosso do Sul pode registrar pancadas de chuva. Sperling esclarece que a semana será de altas temperaturas, aproximação de uma frente fria de intensidade fraca, que pode favorecer em regiões do Estado.

“O mês de outubro é de tempestades, a primavera é período de transição. Pode ter pancadas de chuva, mas não descarta tempestades, sempre de maneira pontual, como foi em Bataguassu”.

Saiba Mais