Sete piranhas foram capturadas após banhistas relatarem ataques no Balneário Municipal “Miguel Jorge Tabox”, em , a 326 km de Campo Grande. Os casos foram registrados no último , e o local está situado às margens do Rio Sucuriú.

De acordo com informações do site JP News, após os incidentes, o secretário de Desenvolvimento Econômico da cidade, José Aparecido de Moraes, afirmou que não foram encontrados buracos na tela de proteção da área de banho, colocada para evitar a entrada dos peixes.

“Estamos conduzindo investigações e avaliando como as piranhas conseguiram entrar na área”, declarou o secretário.

Casos recorrentes

Os incidentes não são casos isolados. Em maio deste ano, o Balneário Municipal precisou ser temporariamente fechado devido a ataques de piranhas a banhistas, e no início de 2023, o local também ficou fechado por quase duas semanas pelo mesmo motivo.

Na época, a SEDECT (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia) realizou uma para retirar os peixes da área de banho, resultando na captura de dez piranhas um dia após os ataques.

Conforme a prefeitura da cidade, um dos itens descartados mais frequentemente na água do balneário são absorventes femininos usados, o que pode atrair as piranhas.

“É amplamente conhecido que o sangue pode atrair piranhas, o que aumenta o risco de incidentes. Infelizmente, todo fim de semana encontramos esse tipo de lixo na área de banho. Pedimos a conscientização das mulheres sobre o descarte adequado, pois esse descuido pode causar danos irreparáveis ao meio ambiente, à saúde pública e ao problema da presença de piranhas no local”, alertou o secretário.

Como se prevenir?

Em caso de ataques de piranhas, é aconselhável que os banhistas evitem entrar na água se estiverem feridos ou com algum tipo de sangramento, pois o cheiro de sangue pode atrair as piranhas.

O secretário ainda destacou que o rio Sucuriú é conhecido por abrigar muitas piranhas, mas o Balneário é considerado seguro e adequado para os banhistas.

“Já consultamos biólogos e pescadores experientes, mas estamos abertos a ouvir outras sugestões ou técnicas. Temos salva-vidas e mergulhadores disponíveis para prestar todo o apoio aos do balneário”, explicou o secretário José Aparecido de Moraes.