O município de , a 137 km de Campo Grande, recebeu a 27ª Sala Lilás de Mato Grosso do Sul. No espaço mulheres, e adolescentes vítimas de violência podem fazer um depoimento especial. O lugar é projetado para acolher diferentes perfis, como a disposição de brinquedos para as crianças. 

De acordo com o governo de Mato Grosso do Sul, um dos financiadores da sala lilás, o atendimento será feito com especialistas e o objetivo é impedir a “revitimização”, ou seja, quando as vítimas precisam repetir o depoimento nas diversas esferas da investigação e do acolhimento psicossocial. 

Nas cidades sem da mulher, as vítimas são encaminhadas para a sala lilás para passar pela oitiva.

A Sala Lilás é uma iniciativa da Polícia Civil com recursos do Governo de Mato Grosso do Sul, apoio de prefeituras, conselhos de segurança e emendas parlamentares.

“Uma ou um adolescente vítima de violência sexual também será encaminhado e, nos casos de flagrantes graves, através do termo de cooperação assinado entre Estado e Município, a prefeitura da cidade tem a escala de profissionais do Creas (Centro de Referência Especializado de Assistência Social)”, pontua a assessora da Delegacia Geral, Christiane Rocha.

Atualmente, Mato Grosso do Sul tem 27 salas semelhantes e 12 delegacias da mulher.