B de banana, k de kiwi, L de laranja, G de goiaba e assim por diante. É assim que, aparentemente brincando, muitos alunos da Jerônimo Mércio da Silveira, em Candiota (RS), aprenderam as sílabas e ficam repetindo em casa. Aos mais velhos, coube também a função de desenvolver uma horta, aprender sobre tecnologia ao desenvolver um sistema próprio de irrigação na escola, entre outros temas. Com cinco representantes, três alunos e dois professores, o Permacultura está sendo exposto durante o Integra 2023, na UFMS.

Alunos e professores vieram do RS para evento científico na UFMS, em . (Graziela Rezende/Jornal Midiamax).

“Este projeto iniciou em 2020, quando ainda estávamos em pandemia, no final na verdade. E aí foi evoluindo e, no ano de 2021, começamos a trabalhar de forma mais intensa, já que os alunos voltaram para aulas presenciais. De lá para cá, já temos a nossa estufa que produz alimentação saudável aos alunos e aí integramos as crianças, despertando nelas este interesse pelas frutas. Assim, a gente construiu todas as salas e hoje temos a representação, que são os meninos, porém, o trabalho foi desenvolvido com toda a turma”, afirmou a de química e uma das coordenadoras do projeto, Josimar Garcia.

Ao todo, cerca de 400 alunos se envolveram no projeto da escola. “A gente foi até o ponto de criar o nosso sistema de irrigação automatizado para a estufa. Nós usamos a água da chuva e era algo que antes não tinha na escola e foi originado com a ideia do projeto. Ali existia antes uma extensa área de lazer, com gramado e pracinha, mas, ainda assim sobrava uma área que não estava sendo usada, cerca de 600 metros quadrados. E aí fizemos a horta para a merenda deles, com as frutas e legumes em geral. No início, ganhamos mudas da comunidade”, explicou o professor de física Luiz Antônio Dworakowski.

Horta em casa

Todo o ensinamento também foi para dizer que é sim possível cada um ter uma horta em casa. “Nós ainda fizemos uma aula de empreendedorismo, mostrando a possível lucratividade deles e tivemos outros avanços desde 2020, na prática. A ideia agora é ir seguindo, falando e disseminando o projeto Brasil afora”, argumentou a coordenadora.

Um dos alunos, que está apresentando o projeto em Campo Grande, argumenta que o projeto já foi apresentado em outros eventos. “É um projeto que estamos nele há três anos e traz várias experiências. É um projeto que a gente vai levar para a vida”, Bernardo de Souza Souza, de 17 anos.

Integra 2023

Integra 2023 ocorre no Moreninho, na UFMS. (Alicce Rodrigues/Jornal Midiamax)

O Integra é o maior evento de ciência, tecnologia, inovação e empreendedorismo do Estado.

A expectativa é reunir cerca de 10 mil pessoas até a próxima sexta-feira (27), com apresentações no Ginásio Moreninho. Confira a programação completa aqui.

Midiamax durante o Integra 2023:

Pobreza menstrual vira tema científico para Lenita e Helena, que criaram o ‘tabuleiro sem tabu’

O que o céu indígena tem a ensinar? Jovens contam teoria de anciões na maior feira científica de MS

Saiba Mais