Prefeitura de Corumbá discute revisão de tratados fronteiriços com autoridades do Brasil e Bolívia

Encontrou ocorreu na manhã desta sexta-feira (28)
| 28/01/2022
- 21:00
Reunião com autoridades consulares desta sexta-feira (28)
Reunião com autoridades consulares desta sexta-feira (28) - (Foto: Renê Marcio Carneiro / Prefeitura Municipal de Corumbá)

Em reunião com autoridades consulares do Brasil e da e representantes dos poderes Executivo e Legislativo das cidades bolivianas de Puerto Suarez e El Carmen Rivero Tórrez, o prefeito de , Marcelo Iunes, discutiu a necessidade de revisão do Tratado de Roboré e também da portaria que estabelece os critérios para definição de cidades-gêmeas em regiões fronteiriças.

O encontro ocorreu na manhã desta sexta-feira (28), e tratou de assuntos referentes ao comércio aduaneiro; comércio exterior; tratados comerciais; atendimento na área de saúde; educação. Também foi abordada situação referente a acordos de reciprocidade transfonteiriça. O cônsul do Brasil em Puerto Quijarro, Silvio Assumpção, e o cônsul da Bolívia em Mato Grosso do Sul, Simons William Durán Blacutt, participaram das discussões.

“Nós convivemos no dia a dia e temos que trabalhar juntos para fazer nossas regiões, que englobam Corumbá, Ladário, Puerto Quijarro, Puerto Suárez, crescerem e se desenvolverem juntamente”, afirmou Marcelo Iunes. Ele destacou que mesmo distante cerca de 100 quilômetros de Corumbá, a cidade boliviana de El Carmen Rivero Tórrez é um importante polo consumidor de produtos brasileiros, grande parte deles adquiridos em Corumbá.

Por sugestão do prefeito de Corumbá ficou definido que as cidades vão se reunir, com suas respectivas autoridades consulares, para definição das propostas e sugestões para envio conjunto aos governos do Brasil e da Bolívia. “Nós aqui de Corumbá nos reuniremos com o cônsul do Brasil e as cidades da Bolívia com as autoridades consulares bolivianas. Assim, teremos condições de definir as propostas para que possamos enviá-las para os Ministérios das Relações Exteriores do Brasil e da Bolívia”, informou Iunes.

Veja também

Os gados foram encontrados de forma debilitada com partes ósseas a mostra e 65 deles foram encontrados mortos e 11 estavam caídos, sem condições de levantar

Últimas notícias