Família de baleado em conveniência pede doações após homem ficar paraplégico

O crime aconteceu no dia 17 de Dezembro de 2021, no Bairro Paulo Coelho Machado
| 26/01/2022
- 20:12
Paulo foi baleado no dia 17 de Dezembro do ano passado e agora precisa de doações.
Paulo foi baleado no dia 17 de Dezembro do ano passado e agora precisa de doações. - Arquivo Pessoal

A família Paulo Sérgio de Oliveira Santos, de 28 anos, baleado nas costas após defender uma mulher das agressões do marido está pedindo doações. Sem trabalho, ele, a esposa e três crianças estão dependendo da caridade alheia.

A esposa de Paulo, Ângela Rosane Cordeiro de Sousa, de 31 anos, diz que a vida da família mudou muito após o ocorrido. Além de ter que aprender a lidar com toda traumatizante situação de uma pessoa querida estar paraplégica, eles também estão passando por necessidades de medicamentos, produtos de higiene e até alimentos.

“A gente precisou adaptar todo o banheiro para ele voltar para casa. Nossa vida mudou e não está nada fácil. Não estou conseguindo trabalhar, pois tenho que cuidar dele. Já entramos na espera do (Instituto Nacional do Seguro Social) mas, ele ainda precisa aguardar a perícia para receber o dinheiro”, disse.

Com três crianças pequenas, Ângela diz viver um dia de cada vez, já que com a mudança de vida, o dinheiro não está entrando, mas os gastos aumentaram. A esposa explica que alguns produtos de higiene não são oferecidos pelo SUS (Sistema Único de Saúde) e a família de Paulo precisa ‘se virar nos 30’ para dar conta do recado.

“Ainda não estamos recebendo a maioria das coisas que precisamos pelo SUS. Uma enfermeira e uma assistente social precisa nos visitar para recebermos e até agora não apareceram. Ele necessita de fraldas, cadeira de banho, cateter com preservativo. A alimentação dele também é muito diferenciada. Ele não pode comer muita carne, só pode frutas, legumes, frango, alimentos que não pesam muito no estômago dele”, contou.

Apesar da vida difícil que está enfrentando, Ângela diz que ainda existe muitas pessoas boas no mundo que se sensibilizam com a situação que a família está enfrentando.

“Tem gente que vem aqui e traz um pacote de arroz, outra pessoa leva um pacote de feijão e assim nós vamos vivendo. A pomada que uso para curar a escara dele custa mais de R$20 e é necessário um tubo por dia. É muito difícil”, disse.

Se você se sensibilizou e quer ajudar a família de Paulo, basta entrar em contato com a esposa dele, a Ângela, pelo telefone: (67) 9-9120-7534.

Relembre o caso

O aconteceu no dia 17 de dezembro de 2021, no Bairro Paulo Coelho Machado, em Campo Grande. O assassino, Valdinei de Lima Ferreira chegou em uma moto e efetuou os disparos contra dois rapazes. André de Freitas dos Santos, que morreu e Paulo ficou paraplégico.

O suspeito teria ficado com ciúmes da esposa que estava conversando com as vítimas. Após agredir a mulher, Valdinei voltou ao local e atirou contra André e Paulo.

Família pede Justiça

O depoimento de Valdinei a polícia revoltou a família de Paulo. Conforme o assassino, ele teria ‘agido por impulso’ e contou que nunca teve a intenção de matar.

“Não reconheço mais o meu marido, ele não conversa mais e fica com medo de nós passarmos necessidades. É um absurdo ele dizer que agiu por impulso. Ele atirou no meu esposo pelas costas, meu marido tem uma bala alojada no peito e tem dores diariamente. Um homem com uma vida ativa, pai de família. Nós queremos Justiça”, desabafou.

Veja também

O Cijus (Centro Integrado de Justiça) disponibilizou um espaço de atendimento para instalação do "Procon...

Últimas notícias