Cotidiano

Viagens para fim de ano estão em alta, mas preço das passagens é barreira para campo-grandense ir à praia

Demanda reprimida faz procura aumentar até 5 vezes em agências de turismo

Gabriel Maymone e Gabriel Neves Publicado em 02/10/2021, às 08h50

Agências de turismo percebem alta na procura por viagens para fim de ano
Agências de turismo percebem alta na procura por viagens para fim de ano - Henrique Arakaki / Midiamax

Desde o início da pandemia, os amantes de viagens sofrem com as restrições impostas pela covid. Entretanto, com o avanço da vacinação e as flexibilizações, as agências de turismo comemoram a alta procura e acreditam que o desejo de passear vai superar as barreiras como altos preços de passagens aéreas.

Conforme Samuel Magela, proprietário de uma agência de turismo em Campo Grande, a procura para o fim de ano está cinco vezes maior este ano. "Vamos ter evasão de campo-grandenses no fim de ano. A gente vê, claramente, a retomada. A dificuldade é na questão de preços, pois as companhias aéreas não ajustaram a malha [estão com número menor de voos] e aproveitaram a demanda para manter os preços lá em cima", explicou.

Entretanto, conforme o empresário, nem isso impede o campo-grandense de fechar pacotes de viagens. "Para o fim de ano, o público não está preocupado com preço. O Rio de Janeiro é o destino mais buscado pela questão da tradição, como a queima de fogos em Copacabana. Em seguida, aparecem destinos do nordeste como Natal e Recife", detalhou.

Pesquisa divulgada no início do mês pela plataforma Booking.com revela que 66% dos entrevistados da região Centro-Oeste afirmaram que pretendem viajar até o fim do ano. No que diz respeito aos itens reservados por estes viajantes, 78% responderam que já garantiram sua reserva em acomodações e 75% já compraram suas passagens aéreas, rodoviárias, entre outros.


Nordeste do Brasil e Rio de Janeiro são destinos preferidos dos campo-grandenses para a virada do ano - Foto: Henrique Arakaki / Midiamax

Já para o agente de viagens Nivaldo Silva de Souza, as buscas por pacotes cresceram, mas o preço elevado das passagens aéreas está prejudicando o fechamento de pacotes. "Já está começando a fluir. Mas estamos sentindo problema de muitas pessoas não estarem finalizando os pacotes quando se deparam com o preço das passagens aéreas", disse.

Conforme o profissional, o campo-grandense quer praia. "Ou é praia, ou é visitar parente. Mas os destinos mais procurados são: Rio de Janeiro, Porto Seguro e Natal", pontuou Nivaldo.

Passagens devem ficar ainda mais caras

Os bilhetes de passagens aéreas estão cerca de 80% mais caros que o praticado ano passado. A dificuldade ainda é por conta da diminuição dos voos por parte das companhias aéreas, que ainda não foram totalmente restabelecidos, causando assim lacunas nos itinerários.

O preço, segundo agentes de viagens, é mantido pelas empresas por conta da demanda reprimida. "A alta procura faz com que as empresas mantenham esses valores", disse um especialista.

Uma pesquisa da Decolar, uma das maiores empresas de viagens da América Latina, aponta que o interesse dos viajantes brasileiros cresceu 63% nas últimas semanas.

Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o aumento médio, em setembro, foi de 28,76%.

Com o prejuízo de 2020, por conta da pandemia, as empresas estão repassando o custo final aos consumidores. Outros fatores também colaboram para o aumento, como a relação entre oferta e demanda. Por outro lado, as companhias afirmam que aumentaram o preço por conta do combustível da aviação.

Planos para última hora

Contudo, nem sempre é possível se programar com antecedência de meses. Muitos campo-grandenses ainda não sabem o que irão fazer nas festividades de fim de ano.

É o caso da estudante Maria Antônia Dias, 18 anos, que não tem nada planejado. "Temos receio por causa da covid, que pode atrapalhar a viagem", declarou, afirmando que, normalmente, são os pais dela que decidem a programação.

Há quem ainda nem pensou no assunto, como a educadora física Gisele Coutinho, 46. "Não fazemos planejamento, é só reunir a família, mas vamos ver ainda", conta, lembrando que ano passado não houve a festa.

Outros preferem trocar a viagem por algo material. O vendedor Thaylor Soares, 19, afirma que vai trabalhar e até planeja vender as férias para comprar uma moto ou carro, mas não descarta passar as festividades com familiares ou amigos.

Thaylor e Jéssica falam sobre os planos para o fim de ano - Fotos: Henrique Arakaki / Midiamax

Já a professora Jéssica Taiane, 28, já está com tudo certo para viajar. "Vou para Minas Gerais, passar com a família do meu namorado. Não costumo viajar nas férias, essa será a 1ª vez",  contou.

Jornal Midiamax