Cotidiano

Posse de indicado por pastor envolvido em polêmica é suspensa e pode haver debandada de igreja

Foi suspensa a reunião de posse do pastor Elias Longo como novo chefe da Igreja Assembleia de Deus Missões em Campo Grande na noite desta quinta-feira (28). A posse de Elias Longo é contestada por membros da igreja, pelo fato de ele ser indicado pelo atual presidente até então afastado, pastor Antônio Dionízio, que se […]

Diego Alves Publicado em 28/01/2021, às 23h58 - Atualizado em 29/01/2021, às 11h13

Interior da igreja durante a reunião que foi suspensa (Via WhatsApp)
Interior da igreja durante a reunião que foi suspensa (Via WhatsApp) - Interior da igreja durante a reunião que foi suspensa (Via WhatsApp)

Foi suspensa a reunião de posse do pastor Elias Longo como novo chefe da Igreja Assembleia de Deus Missões em Campo Grande na noite desta quinta-feira (28). A posse de Elias Longo é contestada por membros da igreja, pelo fato de ele ser indicado pelo atual presidente até então afastado, pastor Antônio Dionízio, que se envolveu em polêmica ao ser filmado tocando uma fiel dentro da igreja.

Ele também é apontado por ter mudado o estatuto da igreja. Uma fiel que prefere não se identificar, conta que muitos membros estão insatisfeitos com as atitudes e com a indicação de Antônio Dionízio. Ainda segundo informações, poderá haver uma debandada de integrantes da igreja.

Durante a reunião, muitos membros da igreja estavam do lado de fora e foram impedidos de entrar. “Nós conseguimos entrar, entramos no templo, de uma forma bem complicada, foi aberto à força, chamaram a polícia e alegaram que as regras de biossegurança não estavam sendo cumpridas. Cancelaram a reunião, nos deixaram falando sozinhos, nós tentamos fazer a reunião. O pastor não quis assumir daquela maneira, achou que foi muito vergonhoso, escândalo não é princípio nosso. Estamos lutando por princípios, na verdade nós não concordamos, isso não está nos nossos princípios, no estatuo da igreja, de termos que concordar com esses escândalos. Na verdade, ficou sem resolver, acreditamos que nós vamos para um outro ministério que esse já não nos cabe mais. Infelizmente foi bastante tumultuado, foi por unanimidade a jubilação do atual presidente, mas ele (Antônio Dionízio) não compareceu, nem ele nem o vice e foi um descaso muito grande”, diz uma fiel que prefere não se identificar.

Dionízio também foi afastado da presidência da COMADEMS (Convenção das Assembleias de Deus no Estado de Mato Grosso do Sul), onde estava à frente há 28 anos.

No estatuto da igreja, consta que os membros não podem cometer adultério, divórcio e ou se casar novamente. O pastor Dionízio se divorciou e depois se casou com a fiel em que aparece no vídeo.

Atualmente, existem várias igrejas Missões Igreja Assembleia de Deus Missões nos bairros de Campo Grande. O salário do pastor que irá comandar a igreja matriz, localizada na Rua Rio Brilhante, é de aproximadamente, ou até superior a R$ 40 mil, segundo apurou a reportagem. Já a COMADEMS, até então comandada por Dionízio, estava à frente de cerca de 30 igrejas no Estado.

Jornal Midiamax