Cotidiano

Ponta Porã inicia projeto de destinar cargas agrícolas aprendidas para ajudar famílias de assentamentos

Cargas com soja, milho e fécula, encontradas em cargas ilícitas, serão destinas para agricultura familiar

O veículo que aparentemente estava com soja, carregava toneladas de maconha.
O veículo que aparentemente estava com soja, carregava toneladas de maconha. - (Foto: Divulgação)

A prefeitura de Ponta Porã divulgou, nesta segunda-feira (19), o início de um projeto-piloto de destinar cargas apreendidas com soja, milho e fécula de mandioca para famílias em assentamentos rurais.

A entrega aconteceu na última sexta-feira (15), na sede da Associação dos Produtores de Leite do Assentamento Itamarati, com apoio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Regional, Indústria, Comércio e Turismo, Delegacia de Polícia Federal de Ponta Porã, e outras instituições como AGRAER, Senar/Embrapa, IFMS, Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural, Subprefeitura da Nova Itamarati.

Nesta primeira ação, foi destinada para a associação, uma carga de fécula de mandioca, que será utilizada na formulação de ração animal, conforme orientações técnicas das entidades. “Aventamos a possibilidade dessas cargas, principalmente de grãos perecíveis, como soja, milho, fécula, serem destinadas aos nossos assentados e cooperados da agricultura familiar, para que estes materiais auxiliassem na alimentação animal desses produtores, reduzindo seus custos de produção e com isso possibilitando o aumento da sua lucratividade”, explicou a secretário, Caio Augusto.

O objetivo é ajudar na produção da agricultura familiar e moradores de assentamento da região. “Esse material (fécula) irá nos auxiliar muito na alimentação do gado leiteiro, e trará uma redução significativa nos nossos custos, reduzindo os custos podemos ter um lucro melhor, que é muito importante para nós, principalmente nesses tempos difíceis de pandemia”, finaliza o presidente da associação.

Jornal Midiamax