Cotidiano

Para reduzir fila com especialistas, prefeitura inaugura teleconsultas nas Moreninhas

Atendimento começa com cardiologista, mas pode ser ampliado para outras 7 especialidades

Graziela Rezende Publicado em 07/12/2021, às 10h56

Paciente em sala onde ocorre teleconsulta
Paciente em sala onde ocorre teleconsulta - Graziela Rezende/Midiamax

O paciente continua sentado na frente de um médico para fazer queixas de dores, mas, agora terá disponível outro profissional por meio de teleconsultas. O lançamento do programa da prefeitura ocorreu nesta terça-feira (7), no bairro Moreninhas, região sul da cidade, tendo como objetivo principal reduzir as filas, problema que inclusive foi agravado neste período de pandemia. 

“É um avanço tecnológico muito grande, principalmente nas comunidades mais distantes. Antes, a pessoa passava pelo médico generalista e este indicava um especialista, fazendo a pessoa se deslocar até o CEM [Centro de Especialidades Médicas] e aí ela precisava se encaixar em uma agenda de 4, 5 meses para ser atendida”, afirmou o prefeito Marquinhos Trad (PSD).

De acordo com o prefeito, o sistema foi aperfeiçoado neste período de pandemia e teve início com a participação de cardiologistas. “A pessoa vai dizer que o problema dela é no coração, por exemplo. Aí o médico que está no local já vai colocá-lo, ao vivo, para falar com o cardiologista. O paciente será entrevistado por ele e começa a fazer os procedimentos, sem precisar se deslocar de um lado ao outro”, comentou. 

Outra objetivo com o novo projeto é reduzir o “engavetamento” de cirurgias eletivas e atendimentos que dependem, exclusivamente, do médico especialista. “O projeto não consegue eliminar este problema, mas, pode reduzir muito a fila. A gente também sabe que muitas pessoas querem ver o médico pessoalmente, querem sair do local com uma receita na mão, é um costume, então, teremos de trabalhar também a questão da conscientização neste projeto”, comentou.

Segundo a assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), o sistema foi lançado apenas com a participação de cardiologista, mas, pretende teor ao menos 18 especialidades médicas, entre eles os de maior demanda, como psiquiatras e pediatras. Além das Moreninhas, o projeto prevê a instalação das teleconsultas no bairro Tiradentes e também em outras sete unidades hospitalares da cidade, com previsão de expansão para outras 72 unidades básicas de saúde. 

Conheça detalhes do Sistema de Teleinterconsulta:

  • Em tempos de pandemia, a mediação tecnológica é uma importante ferramenta para a promoção da equidade e da democratização do acesso aos serviços de saúde;
  • Com base neste conceito, Campo Grande iniciou a implementação do Programa Municipal de Telerregulação, Teleconsulta e Teleconsultoria;
  • Um dos objetivos do programa é qualificar os encaminhamentos da Rede de Atenção Primária para a Rede de Atenção Especializada, por especialidade;
  • Os profissionais de saúde através de web conferências utilizarão estratégias de atendimento compartilhado, entre paciente, médico da unidade de saúde e especialista, sendo este o principal diferencial do programa;
  • Haverá diminuição do tempo de espera para o atendimento especializado presencial, atuando na queda da demanda reprimida, nos deslocamentos dos usuários, reduzindo gastos com transporte;
  • As unidades de saúde da família (USFs) Tiradentes e Moreninha foram escolhidas para iniciarem o programa;
  • A expectativa é expandir o serviço para as 72 unidades de saúde que compõem a Atenção Primária; 
  • Neste primeiro momento, os profissionais das unidades devem contar com suporte de psiquiatras e cardiologistas, prevendo a disponibilização de outras especialidades;
  • A implantação do Programa Municipal de Telerregulação, Teleconsulta e Teleconsultoria, são fruto da parceria da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), com o Laboratório de inovação na atenção primária à saúde (INOVAAPS) e o Laboratório de inovação tecnológica em saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LAIS).
Jornal Midiamax