Pelo segundo ano consecutivo sem a tradicional abertura da , Campo Grande deve descentralizar a magia natalina e levar para os bairros nas sete regiões da Capital. 

“A Cidade do Natal vai ter, mas não nos altos da Afonso Pena. Desta vez nós levaremos nas sete regiões da cidade, em todas as grandes avenidas dessas regiões. Vamos levar também para os dois distritos. Vamos levar da mesma maneira que fizemos no ano anterior”, disse o prefeito (PSD), na tarde desta quinta-feira (4), após reunião que decidiu sobre a liberação do uso de máscara ao ar livre

No ano passado, o Executivo Municipal espalhou luzes e decorações natalinas por toda cidade. Até um presépio vivo foi montado na Avenida Afonso Pena. Rotatórias, avenidas e praças foram enfeitadas para o Natal. Neste ano, o padrão deve se repetir, enquanto a pandemia não acaba e a Cidade do Natal, nos altos da Afonso Pena, passa por reforma.

A nova Cidade do Natal

A Cidade do Natal passará passará por obras e será ‘multiúso' e com cenários que recriam monumentos e prédios históricos da cidade. No fim da intervenção, o município pretende abrir consulta à população para definir um novo nome para local, uma vez que, não será mais só usado no fim de ano.

Será construída estrutura permanente de quiosques, com configuração arquitetônica característica da cidade, palco para e eventos artísticos, instalações sanitárias, infraestrutura de drenagem e área coberta.

O projeto prevê um totem de entrada que remete às características da Estação Ferroviária, quiosques com fachadas nas características das casas da Vila Ferroviária, do antigo Cine Alhambra, além de tendas gourmet. Serão edificações de alvenaria que não precisão ser refeitas todos os anos neste período de festas natalinas e virada do Ano Novo.