Cotidiano

Município inicia obras de drenagem em bairros afetados por tempestade em Corumbá

Após a tempestade que atingiu a cidade de Corumbá, a 440 km da Capital, e alagou bairros deixando 220 famílias desalojadas, a Prefeitura Municipal iniciou obras de drenagem nas regiões mais atingidas. Previsto para chover 145mm o mês de janeiro todo, somente em 24h a cidade registrou acumulado de 187mm. Na região dos bairros Cristo […]

Mariane Chianezi Publicado em 14/01/2021, às 16h00

Foto: Renê Marcio Carneiro/PMC
Foto: Renê Marcio Carneiro/PMC - Foto: Renê Marcio Carneiro/PMC

Após a tempestade que atingiu a cidade de Corumbá, a 440 km da Capital, e alagou bairros deixando 220 famílias desalojadas, a Prefeitura Municipal iniciou obras de drenagem nas regiões mais atingidas. Previsto para chover 145mm o mês de janeiro todo, somente em 24h a cidade registrou acumulado de 187mm.

Na região dos bairros Cristo Redentor e Cravo Vermelho, as equipes de obra constroem corredor de macrodrenagem na cidade. “Toda a água que cai naquela parte da Nova Corumbá e Guatós, só tem um caminho para descer para o rio. É por aqui, atravessando o Cravo e o Cristo; passando ali pelo Cravo 1, no antigo lixão e atravessando o Anel Viário, esse é o caminho”, explicou o secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico e Sustentável, Cássio Augusto da Costa Marques.

Ele destacou que as obras executadas no bairro Cristo Redentor vão melhorar a situação da drenagem. O secretário ainda explicou que para implantação de drenagem leva-se em consideração a média histórica de chuvas de cada cidade.

“Temos uma obra acontecendo nessa região. Nestas obras nunca são calculadas para um volume de água tamanho. Para termos uma ideia, a última ocorrência aqui desse porte foi na primeira metade dos anos 2000, quando, inclusive, foi feita a intervenção para dar vazão à água. Depois disso, foi construído o sistema de drenagem, baseado numa estatística de chuvas de recorrência de vinte anos, esse é o projeto”, detalhou Cássio.

A Prefeitura executa na rua Minas Gerais, com 15 de Novembro, serviços de macrodrenagem. O projeto faz parte da implantação do Parque Linear das Jaguatiricas, obra financiada pelo Fonplata e começada em 2020.

“É um serviço complexo, demorado, que envolve explosão de rochas, rebaixamento de minadouros e outros serviços complementares. São obras muito grandes, mas que resolvem a situação, como já foi feito no bairro Aeroporto, na região do conjunto Tiradentes, e no bairro Padre Ernesto Sassida”, afirmou o prefeito Marcelo Iunes, que esteve no local na quarta-feira. Lá a Prefeitura montou na escola José de Souza Damy, um posto de atendimento às famílias atingidas pelas chuvas.

Jornal Midiamax