Cotidiano

Morte de idoso atropelado traz à tona riscos e cuidados com bicicletas elétricas em Campo Grande

Polícia de Trânsito reforça quais regras condutores de veículos precisam seguir

Mariane Chianezi Publicado em 03/08/2021, às 18h06

None
De arquivo, Midimax

Após a morte Adão Machado Viegas, de 69 anos, que faleceu após ser atropelado por bicicleta elétrica em ciclovia na Avenida Lúdio Martins Coelho, em Campo Grande, no último fim de semana, a BPTran (Batalhão de Polícia Militar de Trânsito) alerta para os cuidados das bikes elétricas em Campo Grande. Em reportagem publicada no mês passado, o Jornal Midiamax mostrou as regras para esse meio de locomoção, que não exige que o condutor tenha carteira de habilitação. 

Conforme a BPTran, o acidente de domingo (31) não chegou a ser registrado pela polícia de trânsito e não deve entrar nas estatísticas, pois quando a equipe chegou ao local, não havia mais ninguém. No entanto, o levantamento da polícia apontou que a mulher que pilotava a bicicleta é uma idosa de 73 anos que chegou a ser socorrida para a UPA Leblon. 

A mulher e o idoso seguiam pela ciclovia quando o acidente aconteceu. O BPTran pontua que acidentes com bikes elétricas não são recorrentes na Capital, mas com a quantidade de veículos do tipo crescendo cada vez mais nas ruas, a atenção de pedestres e ciclistas deve ser redobrada.

As orientações para quem pilota um veículo elétrico são as mesmas impostas para quem pilota uma bicicleta tradicional. Usar capacete, sinais sonoros e luminosos e reduzir a velocidade em um local onde tem pedestres. 

De acordo com a Resolução nº 315, de 08 de maio de 2009, do Contran (Conselho Nacional de Trânsito), voltada para os ciclistas, é permitida a velocidade máxima de 6 km/h em áreas de circulação de pedestres e velocidade máxima de 20 km/h em ciclovias e ciclo faixas. Vale lembrar que as bicicletas elétricas de menor potência, de até 350 watts, atingem a velocidade máxima de 25 km/h.

Morte de idoso

Idoso, de 69 anos, identificado como Adão Machado Viegas, morreu horas após ser atropelado por uma mulher que estava em uma bicicleta elétrica, na tarde do domingo (31), na Avenida Lúdio Martins Coelho. Ele chegou a ser socorrido pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e encaminhado para a Santa Casa, mas não resistiu.

Conforme informações do boletim de ocorrência registrado pela filha de Adão, ela recebeu um telefonema do número de seu pai, por volta das 9h25 deste domingo. A pessoa do outro lado da linha se identificou com funcionário do Samu.

Ela foi informada de que o pai havia sofrido um acidente de trânsito e estava desacordado. A filha, então, foi até o local indicado, no Bairro Oliveira 3, e conversou com a equipe do Samu. Ela foi avisada de que seu pai havia sido atropelado por uma bicicleta elétrica, que era pilotada por uma mulher, que não foi identificada. Ainda segundo os médicos, Adão estava andando pela ciclovia quando foi atingido.

Ele foi encaminhado para a Santa Casa, dando entrada por volta das 10h09, e morreu às 15h05. A condutora da bicicleta elétrica também foi encaminhada para a Santa Casa. O caso foi registrado como morte a esclarecer na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro.

Jornal Midiamax