Cotidiano

Susto: Moradora é surpreendida com tamanduá-bandeira dentro do quarto

Uma moradora do Bairro Vilas Boas acionou a PMA (Polícia Militar Ambiental) após encontrar um tamanduá-bandeira ‘escondido’ dentro do quarto de casa na tarde desta segunda-feira (11), em Miranda, cidade a 208 quilômetros de Campo Grande. Conforme nota da PMA, o caso aconteceu às 15h quando a mulher teria se deparado com o animal silvestre […]

Mariane Chianezi Publicado em 11/01/2021, às 16h45 - Atualizado às 23h57

Tamanduá foi encontrado dentro de quarto em residência | Foto: Divulgação/PMA
Tamanduá foi encontrado dentro de quarto em residência | Foto: Divulgação/PMA - Tamanduá foi encontrado dentro de quarto em residência | Foto: Divulgação/PMA

Uma moradora do Bairro Vilas Boas acionou a PMA (Polícia Militar Ambiental) após encontrar um tamanduá-bandeira ‘escondido’ dentro do quarto de casa na tarde desta segunda-feira (11), em Miranda, cidade a 208 quilômetros de Campo Grande.

Conforme nota da PMA, o caso aconteceu às 15h quando a mulher teria se deparado com o animal silvestre em casa. O bicho, adulto, foi capturado com uso de cambões e depois foi colocado em uma jaula de contenção. O tamanduá foi encaminhado para atendimento veterinário e, como estava bem de saúde, foi liberado e deverá ser solto no habitat, longe da zona urbana.

Mais cedo, o Jornal Midiamax publicou reportagem indicando que o número de capturas de animais silvestres na cidade tem aumentado, em 2020 a PMA capturou 2.268 animais silvestres, um aumento de 28% com relação ao ano de 2019 (1.766 animais), que já havia sido 26,77% superior a 2018 (1.393 animais). Os principais bichos capturados foram aves.

Para o doutor em biologia, José Milton Longo, existe sim, uma correlação entre o desmatamento, avanço da agropecuária próxima às cidades e o aparecimento de animais silvestres no perímetro urbano. Em relação às cidades do interior, como em Bela Vista, o curso dos rios influencia na aparição dos bichos.

“Também devemos levar em conta os rios, cursos d’água e fragmentos de mata que existem próximos os córregos e sua matas ciliares funcionam como corredores de dispersão da fauna, deslocando em busca de recursos, como abrigo e alimentos. Parece ser o caso de Bela Vista, com córregos, rios e matas nas proximidades e agricultura em expansão”, disse. (Alterado às 23h56 de 11/01/2021 para correção de informação)

Jornal Midiamax