Cotidiano

Mesmo com novas UTIs Covid-19, MS atinge 106% de superlotação e deixa 160 pacientes esperando

Mesmo após ampliação de leitos, Mato Grosso do Sul volta a atingir 106,11% de superlotação nos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para Covid-19. Assim, pacientes são atendidos fora da capacidade. Além disto, nesta segunda-feira (22), 160 pessoas em estado grave da doença aguardam a liberação de vagas. De acordo com o painel Mais […]

Dândara Genelhú Publicado em 22/03/2021, às 18h05 - Atualizado às 18h15

Paciente com Covid-19 na UTI do Hospital Regional Rosa Pedrossian. (Foto: Divulgação, HRMS)
Paciente com Covid-19 na UTI do Hospital Regional Rosa Pedrossian. (Foto: Divulgação, HRMS) - Paciente com Covid-19 na UTI do Hospital Regional Rosa Pedrossian. (Foto: Divulgação, HRMS)

Mesmo após ampliação de leitos, Mato Grosso do Sul volta a atingir 106,11% de superlotação nos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para Covid-19. Assim, pacientes são atendidos fora da capacidade. Além disto, nesta segunda-feira (22), 160 pessoas em estado grave da doença aguardam a liberação de vagas.

De acordo com o painel Mais Saúde, alimentado pela SES (Secretaria de Estado de Saúde), 556 pacientes estão internados em UTIs Covid-19 no Estado. No entanto, existem apenas 524 leitos deste tipo registrado. Ou seja, são 32 pessoas em estado grave sendo atendidas além da capacidade.

Os dados são de monitoramento até às 17h50. Leitos clínicos também enfrentam grande ocupação, são 71,69% deles com internações. Assim, 845 unidades estão ocupadas e 335 estão disponíveis para atender pacientes.

Então, em menos de 24h, MS teve 29 novas internações de casos graves de Covid-19. O Estado começou o dia com 102% de superlotação e agora passa dos 106%.

Mesmo com novas UTIs Covid-19, MS atinge 106% de superlotação e deixa 160 pacientes esperando
Nível de superlotação de leitos Covid-19 em MS. Foto: Mais Saúde.

Espera por leitos

Com a situação de colapso, o secretário de Saúde do Estado, Geraldo Resende destaca que estamos chegando ao limite de leitos. “Não vamos ter mais leitos. Uma parcela são leitos improvisados, chamados leitos críticos”.

Além disto, o Estado tem uma lista de pacientes que aguardam por uma vaga em leito clínico ou de UTI Covid. Conforme dados da SES, há 160 pacientes na fila.

Assim, o secretário de Saúde estadual disse que “temos 124 pessoas na Central de Regulação necessitando de vagas em Campo Grande, 102 são da Capital. Na Central de Dourados, temos 6 pedidos de vagas, precisando de leitos clínicos ou de UTI. Na Central do Estado, tem 30 pessoas aguardando leitos clínicos e UTI, se somarmos temos 160 pessoas em fila de espera para leitos clínicos e UTI COVID”.

Jornal Midiamax