Os problemas são enfrentados desde 2007, mas jamais houve solução definitiva. Em julho deste ano, por exemplo, um incêndio de grande proporção atingiu o local, levando problemas de saúde aos moradores do condomínio, especialmente de ordem respiratória. Eles esperam que o MPMS cobre providências do proprietário ou do município, para que seja feita a limpeza e manutenção regular, a fim de que sejam minimizados os impactos.

Nesta terça-feira (7), foi publicado no Diário Oficial do MPMS a abertura de procedimento administrativo para apurar o ocorrido. O procedimento está sob cuidados da promotora Luz Marina Borges Maciel Pinheiro, da 26ª Promotoria de Justiça do Meio Ambiente, Patrimônio Histórico e Cultural, Habitação e Urbanismo da Comarca. O objetivo é: “Apurar as providências adotadas pelo Município de , com base no poder de polícia administrativa, em face do proprietário do terreno […] relativas à adoção das providências necessárias para mantê-lo em condições higiênico-sanitárias satisfatórias”.

Saiba Mais